CNJ cria conselho para auxiliar pesquisas sobre Judiciário


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou nesta quinta-feira (5/5) a composição do Conselho Consultivo do Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ). O secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, ministro Roberto Mangabeira Unger, é um dos escolhidos para integrar o órgão. Os integrantes desse conselho irão auxiliar o DPJ na execução de pesquisas relacionadas ao aprimoramento do Poder Judiciário. Os escolhidos são magistrados e acadêmicos com experiência em áreas como criminologia, planejamento, ciência política, meio ambiente e economia.

Além de Mangabeira Unger, vão compor o conselho consultivo o economista Armando Manuel da Rocha Castelar Pinheiros, a pesquisadora Elizabeth Sussekind, o ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel, a cientista política Maria Tereza Aina Sadek, o cientista político Luiz Jorge Werneck Vianna, o professor Kazuo Watanabe, o desembargador aposentado e ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo Yussef Said Cahali e o desembargador aposentado e ex-presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Vladimir Passos de Freitas. Os integrantes do conselho consultivo foram indicados pelo presidente do CNJ, ministro Gilmar Mendes, e aprovados por conselheiros. A participação dos consultores é feita sem nenhum tipo de remuneração.

Atualmente o DPJ possui sete linhas de pesquisas que são divididas em: estruturas, litigiosidade, jurídico-institucional, administração judiciária, acesso à Justiça, modelo ético-filosófico e direitos fundamentais e liberdades públicas.

🔥13 Total de Visualizações