Discussão e aprimoramento de questões ligadas a saúde mental


As abordagens terapêuticas e jurídica da doença mental sempre foram motivos de debate. Perguntas como: Que probabilidade tem o transtorno mental de trazer risco à segurança do próprio doente e de terceiros? Quando o doente mental é imputável? Como isto se relaciona com as políticas de saúde pública? Essas questões serão abordadas e discutidas durante o Simpósio “Justiça e Doença Mental. Loucura: o insano sistema de saúde mental”, no próximo dia 8 de maio, na Procuradoria Geral da República (PGR). A abertura do evento será às 10h30, no auditório JK, com o procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza.

“Os temas sobre saúde (e doença) mental, como psicopatologia forense, internação compulsória e vários outros de relevância para a sociedade, são muito pouco debatidos e estão longe de ser prioridade nas discussões acadêmicas. Por isso, vejo como de grande importância o seminário “Justiça e Doença Mental” envolvendo o Judiciário e o Ministério Público, para que se faça o debate nas instituições que podem promover a justiça e transformar o sistema de saúde mental do país”, completa a diretora do Sindjus, Ana Paula Barbosa.

Ainda há vagas e as inscrições podem ser feitas pelo site http://www.ipqhc.org.br/evento/pag_005.html. A Procuradora Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), Gilda Pereira de Carvalho e o Subprocurador-Geral da República e Coordenador da 2ª Câmara de Coordenação e Revisão (MPF), Wagner Gonçalves estão entre os palestrantes. O evento oferecerá aos participantes subsídios para formular uma proposta mais eficaz de solução. Clique aqui e confira a programação

🔥10 Total de Visualizações