Reunião de delegados debate Plano de Carreira

A reunião de delegados sindicais da última sexta-feira (8/5) foi uma das mais participativas. Grande parte dos delegados atendeu ao chamado e compareceu ao debate que tinha o intuito de consolidar e ampliar as ações do sindicato. Abriu a reunião o tema Plano de Cargos, Carreira e Remuneração – que pode ser considerado atualmente a principal bandeira do Sindjus –, que está em discussão na Comissão Interdisciplinar do Poder Judiciário.

Policarpo apresentou aos delegados a metodologia de trabalho adotada pela comissão e ressaltou a atuação do Sindjus nesse fórum; detalhou sobre pontos já consolidados na comissão, destacando-se o aprimoramento do adicional de qualificação, a criação da área de tecnologia da informação, funções comissionadas e Cargos em Comissão, Redistribuição, Gratificações sobre o maior vencimento. Discorreu, ainda, sobre os pontos pendentes: requisitos de ingresso, cargo amplo e tabelas salariais. Policarpo afirmou que o Sindjus, além do trabalho na comissão interdisciplinar, desenvolve também trabalho de articulação dos pontos defendidos pelo Sindjus em outras esferas. Esses itens ainda não consensualizados formarão a pauta das próximas reuniões.

Tudo o que vem acontecendo dentro da Comissão foi passado, com detalhes, para os delegados, no intuito de que eles tenham o conhecimento necessário dos fatos para esclarecer a categoria. Para o delegado sindical Ivã Teixeira, servidor do Fórum do Gama, como o processo ainda está em fase de definição, há muitas dúvidas por parte dos servidores que devem ser dirimidas pelo delegado. Embora a tabela salarial esteja no centro das perguntas, há outros detalhes da carreira que também instigam os servidores, como a remoção. “É importante que o delegado esteja bem informado para esclarecer cada detalhe das dúvidas dos servidores. E nesse sentido, a reunião foi bem produtiva”, salientou Ivã.

Durante sua fala, Policarpo frisou que muitas vezes cobra-se a agilidade deste processo, no entanto, há uma série de pontos a serem percorridos e fundamentados. Ao contrário dos outros planos, as reuniões da comissão têm sido marcadas pelo entendimento e não pelo conflito. No entanto, despende-se um tempo considerável para o aprofundamento das ideias. Quanto mais estruturado estiver o anteprojeto mais chance ele terá de passar inalterável pelos próximos passos, que são os diretores-gerais, os presidentes dos tribunais e o Congresso Nacional. A expectativa do Sindjus é consolidar esse trabalho o mais rápido possível e encaminhar o anteprojeto ao Legislativo.

Ficou entendido que a aprovação deste plano será, sem dúvida, a mais difícil de todas, dependendo em muito seu êxito da união de todos os setores. Desse modo, os delegados se comprometam a se empenhar para a mobilização da categoria. Para Ivan, a aprovação deste plano exigirá uma grande mobilização antes mesmo de o anteprojeto ser enviado ao Congresso Nacional: “Temos que ter uma união muito grande nos cargos que compõe a nossa carreira. Há de ter bom senso e entendimento em prol do coletivo, sem que uma área prejudique todas as outras no que se refere à concretização deste projeto. Ultimamente tem surgido muitas associações que só fragmentam e prejudicam a aprovação de um plano como este”.

Para o delegado sindical, ainda há dois complicadores no processo de viabilização deste PCCR: “Neste ano teremos dois agravantes, que é o valor do impacto em razão da equiparação salarial com outras carreiras de Estado e a crise que está alimentando a pauta da mídia. Quando nosso plano tiver no Congresso, vamos sofrer pressão da Globo, da Folha, dos grandes jornais. E nós temos que estar muito unidos para conseguir aprovar nossa plano em meio a tanta pressão”.

🔥7 Total de Visualizações