Sistema de Cotas raciais ameaçado


O Superior Tribunal Federal (STF) vai julgar ação judicial impetrada pelo partido DEM contra o registro dos 652 alunos aprovados no último vestibular da universidade, por meio do sistema de cotas raciais. O sistema de cotas é considerado uma medida polêmica que gera debates e grandes discussões no meio acadêmico.

Em meio a brigas a Universidade de Brasília (UNB) foi pioneira, em 2003, foi a primeira universidade a adotar o sistema de cotas. Assim 20% das vagas destinadas ao Programa de Avaliação Seriada (PAS) estão reservadas para os alunos afrodescententes. Em 2004, foi a vez do vestibular, que recebeu 3,2 mil alunos até hoje, por meio do sistema de cotas.

O reitor da UNB, José Geraldo de Souza Jr. defende a manutenção do sistema de cotas na universidade e comenta ainda, que o Supremo tem postura semelhante ao sistema de cotas em suas contratações, garantindo a admissão de negros nos contratos terceirizados.

De acordo com a ação judicial, todas as matrículas dos alunos negros aprovados pelo sistema de cotas na UNB deverão ser suspensas. As matrículas na Universidade estão mantidas, acontecerá nos próximos dias 23 e 24 de julho, até que a instituição receba alguma ordem judicial.

O sistema de cotas é defendido pela UNB porque está relacionada a missão institucional da universidade. Antes de discutirmos a manutenção ou não do sistema de cotas, devemos avaliar e debater a necessidade de implantar políticas afirmativas no país para democratizarmos o estudo.

🔥10 Total de Visualizações