Em debate, Policarpo defende protagonismo dos servidores do Judiciário e MPU

O coordenador-geral do Sindjus, Policarpo, participou, na noite de ontem (26/8), do debate “A Justiça que temos e a Justiça que queremos” promovido pelo jornal Correio Braziliense. Em sua fala, diante da mesa formada pelo Vice-Presidente do TJDFT, Desembargador Romão Cícero de Oliveira, pela Promotora Claudia Chagas, do MPDFT, pela Presidente da OAB-DF, Estefânia Viveiros, e pela jornalista Samantha Sallum, Policarpo defendeu a valorização dos verdadeiros construtores da Justiça brasileira: os servidores públicos.

Para Policarpo, é esse profissional, que dedica sua vida à construção diária de uma sociedade mais justa, o responsável por humanizar e materializar a Justiça para o cidadão. “Quem realiza os atendimentos, quem entrega as intimações, quem cuida da tramitação dos processos não é o magistrado, mas o servidor. Para se ter a resposta para as perguntas “O que é Justiça?”, “Como se faz Justiça”, e “Onde está a Justiça” é necessário conhecer o dia a dia de um analista, de um técnico Judiciário”, afirmou o coordenador-geral do Sindjus.

“A mídia e a sociedade ainda desconhecem o papel de protagonismo dos servidores do Poder Judiciário e do Ministério Público. Será a partir do reconhecimento deste papel e de sua valorização que se dará o aprimoramento de caminhos para a aplicação de uma Justiça mais eficiente, célere e antenada com as necessidades reais da população”, continuou. Além do discurso, a importância dos servidores públicos para a sociedade e para a Justiça brasileira foi defendida em um artigo, assinado por Policarpo, que foi entregue aos debatedores e ao público presente.

Para ler o artigo, clique aqui.

🔥10 Total de Visualizações