União faz a força: Sindjus realiza piquetes para mobilização da categoria

Em meio a apitos e muito união, os diretores do Sindjus, Berilo Leão e Newton Brum promoveram piquetes no STJ e no TST nesta quarta-feira (dia 11). Desde às 6h40 os diretores estavam a postos para mobilizar servidores e informá-los de que ontem, durante assembleia, a categoria decidiu realizar paralisação de 48 horas e ainda promover uma nova assembleia hoje, às 15h, em frente ao STF.

Os servidores dos tribunais mostram compreensão e união e aderiram ao movimento iniciado pelo Sindjus. “Apesar de termos poucos servidores que trabalham no período matutino, a adesão está ótima, ficaremos aqui até às 15 horas, quando partiremos para o STF”, ressalta o diretor do Sindjus, Berilo Leão.

Hoje o Sindjus fará piquetes em frente a todos os órgãos do Judiciário e do MPU para mobilizar os servidores e garantir a adesão de todos os movimento em apoio ao PCCR. Confira abaixo a opinião dos servidores que participaram dos piquetes nesta manhã:

“Eu acho justo a paralisação de 48 horas, porque o Supremo está demorando muito a enviar o PCCR ao Congresso, senão pressionarmos não conseguiremos a aprovação do plano. Pretendo aderir a greve, caso seja necessário”, técnica judiciária do STJ, Cláudia Almeida Neves

“Eu concordo com o movimento iniciado elo Sindjus, acredito que por meio da luta conseguiremos aprovar o PCCR. Cada servidor tem que fazer sua parte aderir a mobilização”, técnico judiciário do STJ, Joaquim Araújo da Silva

“Eu concordo com a mobilização, se o Sindicato Enem os servidores se posicionarem a aprovação vai ficar mais difícil. Eu sempre participo dos movimentos realizados pelo Sindjus, trabalho há 20 anos no STJ, mas pretendo aderia a greve”, Maria Luzanira da Conceição Matos, técnica judiciária do STJ

“Infelizmente foi a única saída que tivemos foi realizar a paralisação das 48 horas e talvez entrar em greve, temos que pressionar, já aderi, assinei o ponto paralelo do sindjus e vou continuar amanhã e depois até a vitória”, Daniel Braga de Lima, técnico judiciário do TST

“A nossa paralisação é mais do justa, tendo em vista que o sindicato vem pleiteando para a nossa categoria a necessidade de dos cargos e salários serem reajustados de acordo com a inflação, com o desgaste do nosso trabalho. Não estamos sendo reconhecidos e por isso eu apoio inteiramente a greve”, Jorge Vieira Paiva, técnico judiciário do TST

“Eu acho muito importante a nossa paralisação, porque até hoje depois de um ano de negociações o nosso pccr não foi enviado ainda, então temos que nos unir para conseguir fazer com que o projeto seja enviado, merecemos a valorização também, hoje só os juízes e magistrados conseguiram o aumento porque a nossa categoria também não tem os mesmos direitos”, Admilson Vieira da Silva, técnico judiciário do TST

🔥9 Total de Visualizações