Diretor do Sindjus e diretor-geral do STM falam sobre PCCR e servidores do SGON

No último dia 04 de fevereiro o diretor do Sindjus, Berilo Leão, participou de audiência com o diretor-geral do STM, Moisés Francisco Sousa para expor duas situações de grande importância para os servidores do Judiciário. Os dois temas principais foram: o PCCR e a péssima situação de trabalho dos servidores lotados no Setor de Garagem do STM, situado no Setor de Garagens e Oficinas Norte (SGON).

Resposta ao PCCR

Segundo o diretor-geral do STM, há grande interesse do órgão em contribuir para o andamento rápido das negociações para aprovação do PCCR no Congresso. Moisés reforçou ainda que é servidor de carreira e como diretor-geral irá trabalhar junto aos parlamentares para que o processo de aprovação do projeto seja realizado com transparência e agilidade no primeiro semestre de 2010.

Condições Precárias

O diretor do Sindjus, Berilo Leão, relatou as péssimas condições de trabalho que os servidores da garagem do STM, situado no SGON, estão enfrentando. De acordo com Berilo, os servidores trabalham há dez meses em contêineres, sem ventilação e o mínimo de conforto e ainda tem que aguentar a frequente presença de ratos, baratas e até gambás. “Isso compromete de fato a saúde destes servidores”, reforça. Ainda segundo o Berilo Leão, o local apesar de provisório é insalubre e o tribunal precisa encontrar uma solução imediata para o caso.

Como resposta, Moisés Sousa se comprometeu a priorizar, na obra, a parte administrativa que funciona a garagem do STM e disse ainda que no prazo máximo de 60 dias os servidores estarão trabalhando no local adequado e que atenda as condições dignas de trabalho.

O diretor do Sindjus reforçou o pedido de agilizar as obras da garagem do STM (SGON) e se comprometeu a acompanhar o processo. Até o final desta semana Berilo Leão irá visitar o local novamente para acompanhar o processo de mudança dos servidores e ainda buscar soluções para a resolução do problema.

🔥46 Total de Visualizações