Greve: Cerca de 3000 servidores realizam ato público em frente ao STF

Em um ato público realizado hoje (27/5) em frente ao STF, cerca de 3000 servidores do Judiciário e do MPU mostraram toda a insatisfação da categoria com o atraso na aprovação dos projetos 6613/09 e 6697/09, que reestruturam as duas carreiras.

Ao dar os informes sobre os últimos passos da negociação com o governo, o coordenador geral do Sindjus, Roberto Policarpo, disse ser necessário o fortalecimento da mobilização. “Só entramos em greve porque a negociação para a aprovação dos projetos na Câmara caminhava a passos de tartaruga. Ontem o governo deu sinais de que pode negociar, mas sabemos que para acelerar o processo de negociação devemos fortalecer a greve”, afirmou.

Policarpo informou que havia se reunido na noite de quarta-feira (26/5) com o ministro do Planejamento Paulo Bernardo. A reunião foi marcada pela Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados e contou, também, com a participação de diretores da Fenajufe. Apesar de ter começado a reunião afirmando não ser possível implementar o PCCR neste ano, o ministro saiu do encontro dizendo que vai conversar com ao presidente do STF sobre o assunto. Paulo Bernardo informou, ainda, que recebeu orientação do presidente Lula para negociar.

“O que temos de fazer neste momento é continuar a greve para que o STF se mexa”, afirmou Policarpo. Ele também deu informes sobre uma reunião que teve na tarde de ontem com a administração do STF. Durante o ato, os grevistas realizaram um apitaço embaixo do anexo do STF como forma de incentivar os servidores do STF a aderirem à mobilização.

Como parte da estratégia de mobilização dos servidores será realizado na próxima terça-feira, 1º de junho, a realização de um ato público em frente ao Ministério do Planejamento.

🔥13 Total de Visualizações