Piquetes e conscientização: forma de manter a greve no Judiciário e no MPU

Conscientizar os servidores, mobilizar a categoria e garantir a vitória. Esses são os principais objetivos dos piquetes promovidos pelo Sindjus desde o dia 26 de maio. Com apitaços, adesivos, bandeiras, carro de som e muita animação, os diretores do Sindjus, presentes nos piquetes, estão promovendo, diariamente, arrastões e convocando a categoria a participar do movimento.
“As adesões cresceram muito, no inicio, no TST, estávamos desanimados, mas hoje temos cerca de 200 servidores participando ativamente da greve”, afirma o diretor do Sindjus, Newton Brum.

Diversos setores, como Protocolo, Segurança, Informática,Turmas entre outros tem servidores participando no movimento no TST. Mas segundo, Newton Brum, até os servidores que trabalham há menos de um ano no Tribunal já aderiram a greve e os servidores que estão próximos da aposentadoria também participam. Ontem (dia 31) os servidores realizaram apitaço e arrastão em volta dos blocos.

No STJ, os servidores participam do movimento desde o inicio; “praticamente em todos os setores há servidores que aderiram a greve”, ressalta o diretor do Sindjus, Berilo Leão. A 1ª Sessão, 5ª Turma, Taquigrafia, Jurisprudência e Enfermagem, são os setores que tem número expressivo de servidores participantes do movimento. “Esperamos atrair mais servidores para a greve após o ato de hoje (dia 1ª), no MPOG”, reforça Berilo Leão.

No TSE, os servidores estão confiantes e aderiam ao movimento. “Contamos hoje com 45% dos servidores na greve, isso é um número muito bom”, diz o diretor do Sindjus Antônio Silva.

🔥11 Total de Visualizações