Jornal de Brasília: Pressão Total

Depois das declarações do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, sobre as pretensões de reajustes salariais de servidores públicos, especialmente os do Judiciário, entidades representaivas de trabalhadores no serviço público já começaram a traçar estratégias para incluir emendas ao Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2011, cuja relatoria esta a cargo do senador Gim Argello. Para a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), que representa mais de 80% do funcionalismo da Administração Direta, “o conjunto de obstáculos promete aquecer a luta dos servidores em busca de orçamento que garanta cumprimento de acordos firmados durante os últimos anos de governo Lula. A ideia é pressionar e convencer o Congresso Nacional da necessidade de alocar verba suficiente a diversas categorias que negociaram com o governo e não tiveram suas demandas atendidas. Embora ainda não estejam definidas, as possibilidades de agregar verbas adicionais ao Orçamento passam pelas emendas parlamentares, individuais ou coletivas, além de emendas do relator. A Condsef anunciou uma força-tarefa para buscar orçamento aos servidores e serviços públicos.

COM OS PÉS NO CHÃO

Por outro lado, o Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do MPU do DF (Sindjus) cobra encontro do presidente do STF, ministro César Peluso, com o presidente Lula para tratar do aumento salarial dos trabalhadores da categoria. Enquanto o ministro Paulo Bernardo chama de “meio delirante” falar em aumento de 50% –servidores do Judiciário reivindicam 56% – o coordenador-geral do Sindjus, Roberto Policarpo, afirma ter garantido apoio do senador Gim Argello (PTB/DF) para o plano de carreira dos servidores do Judiciário. O relator do PLOA 2011, segundo Policarpo, reafirmou estar disposto a colocar o aumento no Orçamento de 2011.

Fonte: Jornal de Brasília

🔥13 Total de Visualizações