Durante visita ao TSE categoria pede que magistrados reconheçam que agora é a vez do reajuste dos servidores

Durante a visita dos diretores do Sindjus ao Tribunal Superior Eleitoral nesta quarta-feira (23) os servidores deixaram claro que está passando da hora dos juízes e membros começarem a cuidar daqueles que operacionalizam o funcionamento da justiça brasileira. “Os magistrados devem olhar para baixo e ver que os servidores também merecem uma melhoria dos salários”, disse Vanderlei Batista, técnico do TSE. Thiago Barros, colega de trabalho de Vanderlei ainda considera o presidente do Supremo Tribunal Federal deve assumir de vez seu papel e parar com o descaso para com os servidores. “O acordo pode ser escrito ou verbal, mas ele faz lei entre as partes. A atitude do presidente do STF não foi coerente, tanto no aspecto social como no aspecto legal, porque ele fez um acordo, não cumpriu e não dá satisfação do que está fazendo. O Peluso faz parte de um órgão jurisdicional e não ter cumprido o acordo faz com que a categoria desacredite no judiciário em si”, analisou.

A atual desvalorização da categoria tem desmotivado e feito com que muitos servidores saiam para outros órgãos. Isso deveria ser um alerta não só para a magistratura, mas para a sociedade em geral. Caso a aprovação do plano não saia a população também será prejudicada, pois correrá um sério risco de ter uma má prestação dos serviços do judiciário, que ficarão cada vez mais comprometidos. “Muitos servidores estão estudando, vários já passaram em outros concursos e estão saindo, principalmente porque as carreiras de outros poderes têm oferecido salários bem melhores e condições mais atrativas que nos tribunais. O judiciário está perdendo muita qualidade e muitos servidores de potencial que têm buscado um conhecimento, têm se especializado, têm um alto padrão de qualidade”, disse Thiago que avisa que se for necessário todos estão dispostos a paralisar as atividades. “Tanto o sindicato quanto a categoria se mobilizam para conseguir as coisas pacificamente, mas se não for essa forma e tivermos que partir para a greve, que é uma forma mais radical, vai ter que ser feito”.

Outra preocupação dos servidores do judiciário e do MPU é a massificação da noticia de possibilidade de aumento dos magistrados. Como normalmente a imprensa, por má informação, coloca no mesmo patamar magistrados, analistas e técnicos a categoria tem medo que as informações excessivas e críticas a respeito do reajuste dos ministros possa atrapalhar a aprovação do plano. “Quando se fala em salário do judiciário se coloca os vencimentos do técnico em inicio de carreira e utilizam também como base o salário dos magistrados, resultando uma média salarial que não é um valor real. Tem que ficar claro que a carreira dos magistrados é uma e a carreira dos servidores é outra totalmente diferente. Isso não pode ser encarado como uma coisa só”, pediu Alexandre Xavier, técnico do Tribunal Superior Eleitoral.

As visitas dos diretores vão até março e em seguida serão organizadas atividades de mobilização para todos os servidores.

🔥9 Total de Visualizações