Querem jogar a sociedade contra nossa luta. Até quando?

A matéria intitulada “Mega Sena dos Servidores”, publicada no Correio Braziliense de ontem (27), trata de forma equivocada uma realidade que diz respeito aos direitos dos trabalhadores. Redimensionando e generalizando situações isoladas de servidores do Poder Judiciário, o texto tenta desgastar a imagem da categoria e enfraquecer a luta pela aprovação do PL 6613/09.

Ao longo dessa luta houve muitas tentativas político-midiáticas de prejudicar a nossa caminhada. Não é coincidência que essa matéria venha à tona em um momento bastante particular, no qual os servidores do Poder Judiciário estão se mobilizando nacionalmente pela aprovação de um novo Plano de Cargos e Salários, que está na Câmara desde 2009.

A reportagem em questão trata de alguns servidores do Judiciário que receberam grandes quantias decorrentes de indenizações e retroativos. Ora, isso não quer dizer que os mais de cem mil servidores do Judiciário estão recebendo valores dignos de Mega Sena. E se há essa exceção é porque houve, em algum momento, um dano que precisou ser corrigido.

Só evoluiremos enquanto Nação quando a sociedade, ao contrário de condenar, defender a reparação de todo e qualquer dano sofrido por um trabalhador, independentemente de seu cargo e salário.

Devemos ter consciência de que esses pagamentos não configuram supersalários, mas sim uma justa reparação a um direito lesado. O pagamento de passivos “robustos”, como diz a matéria, é fruto de constantes adiamentos das administrações dos tribunais no que diz respeito a acertos de contas com os servidores. A sociedade não precisa se preocupar, pois existem órgãos de fiscalização atuantes e competentes para impedir qualquer recebimento indevido por parte dos servidores.

O Sindjus convida o Correio Braziliense a beber na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, aprovada pela Assembleia Nacional Constituinte da França, em 1789. O artigo 16 deixa claro que a sociedade em que não esteja assegurada a garantia dos direitos não tem Constituição.

Por mais que tentem, não vão conseguir nos calar. Nossa luta pela valorização dos quadros do Poder Judiciário é legítima. Sempre haverá quem tente frear a nossa caminhada, mas devemos nos manter unidos e determinados, defendendo não só a aprovação de um projeto específico, mas a garantia dos direitos de todos os trabalhadores.

De ordem política, a matéria ainda tenta jogar uns servidores contra outros, e dessa forma enfraquecer a nossa luta. Alguns desavisados podem até comemorar a publicação desse tipo de matéria. Mas é preciso estar atento. Ela não fortalece nem mesmo esses. Ao dizer para a sociedade que os servidores já ganham muito, o jornal tentar impedir qualquer tipo de reajuste. A nossa bandeira é coletiva e não podemos compactuar com uma política de perda de direitos adquiridos, redução remuneratória e arrocho salarial.

Servidores, a luta é: valorização dos trabalhadores do Poder Judiciário e uma prestação jurisdicional que leve a justiça a todos os que foram lesados das mais diversas formas.

Berilo Leão/ Coordenador-geral do Sindjus

🔥14 Total de Visualizações