Servidores do TJ exigem respeito!

Os servidores do Judiciário e do MPU têm se sentido menosprezados pelas autoridades do país que aprovaram reajustes de ministros, deputados e senadores, mas não querem tratar do plano de carreira da categoria. Alguns chegam a defender que agora a luta é por algo maior que um reajuste, a luta dos servidores é por respeito. “Se eles querem que a justiça melhore têm que começar pela gente. Nós temos muito trabalho e temos que ser valorizado. Nossa categoria é uma categoria de ponta”, afirma Raquel Montenegro, técnica do TJ, órgão visitado pela diretoria do Sindjus nessa quarta-feira (02).

Thiago Moreira Parry, técnico do TJ, lembra que o sonho de muitos como ele tem virado um pesadelo. “Eu larguei a advocacia para assumir no tribunal, pois, acreditei no acordo que existia de se aprovar um plano de cargos e carreira para o judiciário. Hoje já começo a considerar a possibilidade de sair daqui e voltar a advogar”, afirma.

O calendário de visitas dos diretores aos órgãos do judiciário e MPU está sendo concluído. Os servidores têm apoiado as propostas de mobilização apresentadas pelo sindicato e avaliam positivamente a iniciativa de ir a cada local de trabalho, na forma mais pura de democracia: a direta, que dá a oportunidade de todos poderem opinar sobre os rumos que o sindicato deve seguir.

Corina Aguiar, oficial de justiça lotada no TJ, achou positivo o momento com a diretoria. “É um contato mais direto que a gente tem para tirar as dúvidas, para se informar. Falam tanta coisa que a gente nunca fica sabendo exatamente em que pé a situação se encontra. Agora todos têm que colaborar com as ações que o sindicato for fazer para que a gente possa conseguir alguma coisa. Tem que ser uma ação conjunta. A classe tem que estar unida” defende a servidora.

Sérgio Vieira, técnico do TJ, acredita que esses encontros foram fundamentais para os próximos passos que serão dados em 2011. “A primeira coisa já está sendo feita. O aproveitamento dessas reuniões vai ser muito grande. Isso dá uma credibilidade às informações do sindicato e da diretoria”, disse o servidor que lembra a importância da conscientização. “Aqueles que já decidiram aderir à greve ou a qualquer outra mobilização têm que conscientizar os colegas da necessidade de participar para pressionar o Judiciário para que ele tome uma posição no sentido de dar nosso reajuste. Não há vitória sem luta e não há judiciário sem os servidores”, afirmou Sérgio.

🔥61 Total de Visualizações