Paralisação de 24 horas do TRF e da JF é aprovada em assembleia

Os servidores Tribunal Regional Federal (TRF) e da Justiça Federal (JF) aprovaram em assembleia a paralisação de 24 horas marcada para a próxima quarta-feira, dia 27. Eles se reuniram em frente ao TRF e foram unânimes ao decidirem que chegou a hora de ir as ruas mostrar que querem o reajuste salarial. “A única coisa que não podemos é cansar de lutar. Se a gente desistir facilitamos para o governo e para o comodismo do ministro Peluso que não age para cumprir o acordado”, disse o coordenador-geral do Sindjus Berilo Leão.

Essa é a primeira vez que um acordo para o reajuste da categoria não é cumprido, e é também a primeira vez que um chefe do judiciário é tão omisso, por isso, além da paralisação do dia 27, existe um indicativo de greve que começará no dia 3 de maio. “Nos outros anos foi diferente, então a estratégia agora tem que ser diferente. Ficar em nossas salas, sentados não ajuda. Temos que ir para a rua, temos que parar e participar da paralisação”, disse Eliane da Silva, servidora do TRF e diretora do sindicato.

Pedro do Bomfim de Sousa, técnico da Justiça Federal, ficou satisfeito ao ver que seus colegas aprovaram a realização do ato. “A paralisação é necessária. Precisamos nos mobilizar mais. A idéia é fazer um piquete e eu estarei lá. Vou chamar meus colegas. Agora é a hora de lutar. Temos que aproveitar essa brecha na LOA para conseguirmos garantir nosso reajuste até o meio do ano”, disse o servidor.

Os servidores estarão na Câmara dos Deputados às 10 horas da manhã participando da reunião da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) na tentativa de impedir que seja aprovado Requerimento n° 21/11, do deputado Reginaldo Lopes (PT/MG), com pedido de realização de audiência pública que atrasará ainda mais a aprovação dos Pl’s 6613 e 6697. Depois da Câmara os servidores seguirão para a Justiça Federal e para o TRF onde farão um piquete mostrando a indignação pela demora na aprovação do reajuste.

🔥4 Total de Visualizações