Mais 48 horas de greve

A categoria acaba de aprovar em assembleia prorrogar por mais 48 horas a paralisação. Para amanhã a diretoria prepara um ato no STJ, às 15h. O debate foi intenso, rico e todas as propostas apresentadas sugeriam greve, o que comprova que a categoria está disposta a lutar pelo reajuste. “Temos condições de começar a greve com poucas pessoas e ir crescendo esse movimento, mas é importante e necessário construir uma condição de greve em todos os órgãos disse Najla, servidora do Superior Tribunal de Justiça (STJ).. “Reconhecemos a importância do movimento e a necessidade de greve. Ninguém teve essa dúvida na reunião do STJ/TRF/JF”, informou a servidora durante a assembléia.

Luiz Valério, servidor que representou a Justiça Eleitoral, lembrou o papel de cada servidor no sucesso da paralisação. “A construção da greve é importante porque ela não é inercial. Se deflagramos uma greve hoje e ficarmos parados, nada vai acontecer. Nós somos agentes de mudanças. Nós somos necessários para conseguir o resultado final. Cada um da gente é importante. O amigo que não está aqui presente depende de uma credibilidade e isso depende de cada um de nós”, afirmou.

A importância de cada servidor na construção da greve foi reforçada mais de uma vez nas defesas feitas pelos representantes dos órgãos do judiciário e do MPU. “Queria dizer aos colegas que participaram hoje aqui, debaixo de sol e chuva, que não podemos deixar essa greve só com esse pessoal que está aqui. Vamos falar com o companheiro que ficou na sala dele, no ar-condicionado, sem fazer nada que eles também vão querer ganhar aumento e por isso tem que ir participar”, destacou Ricardo do Ministério Público.

Após cada representante defender a necessidade da paralisação os servidores votaram por mais 48 horas de greve e definiram a realização de uma nova assembléia que definirá o futuro da mobilização da categoria. “Não é só o servidor do Judiciário que está sendo maltratado. O Judiciário está sendo maltratado de cabo a rabo e por isso essas 48 horas de paralisação são importantes. Elas vão nos dar tempo para preparar uma greve com força para sairmos vitoriosos”, disse Ivan, representando o TJDF.

A paralisação de 48 horas aprovada em assembleia começa nesta quinta-feira (19). Na segunda-feira (23) os servidores podem dar continuidade a greve, ou definir uma nova data para indicativo de greve. O futuro da qualidade dos serviços prestados pela Justiça Brasileira está nas mãos das autoridades. A categoria agora exige respeito e a negociação do plano. Participe!!!

🔥21 Total de Visualizações