Diário da greve: em grande ato no STJ, Policarpo detalha seu relatório

Nariz de palhaço, calça de pijama, pantufas e ursinhos de pelúcia. Foi assim, com bastante irreverência, que alguns servidores do Judiciário participaram do ato promovido pelo Sindjus, na tarde de ontem (7), em frente ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). A criatividade dos manifestastes, o espírito de grupo e as palavras de ordem ditaram o clima do ato, que pediu pela aprovação do PL 6613/09 e pelo apoio dos presidentes dos tribunais às reivindicações da categoria.

Foram centenas de servidores que ouviram os detalhes do relatório do deputado Policarpo sobre o PL 6613. “O relatório está pronto. Como já havia me comprometido, proponho uma GAJ de 155.”. Para reduzir o impacto produzido pelo aumento dos valores dos salários propôs uma redução nos valores da opção das funções de 65% para 50%, o que causou, no momento do anúncio, uma comemoração com bandeiras, apitos e gritos. “Vamos transformar uma parte da gratificação em salário para todos”, explicou o deputado.

Para os mais ansiosos Policarpo informou os valores iniciais e finais de sua proposta. O salário do analista é de R$ 11.815,86 (inicial) e R$ 17.741,40 (final); para o técnico, de R$ 7.201,63 e R$ 10.813,20; para o auxiliar, de R$ 3.690,95 e R$ 6.403,99. Lembrando, também, que manteve o Adicional de Qualificação, o que, dependendo do caso, permite ao servidor um acréscimo de 13% em cima esse valor.

Sobre os próximos passos, Policarpo esclareceu que a categoria terá que desenvolver um papel ainda mais importante do que aquele que vem exercendo até o momento. Isso porque, segundo ele, precisamos garantir o aval do Judiciário a essa proposta. Dessa forma, parabenizou os servidores pela excelente estratégia adotada de fazer atos junto aos presidentes que assinam o PL 6613/2009. “Como o texto original teve a assinatura desses tribunais, facilitará muito a aprovação de meu relatório se eles apoiarem a alteração”, destacou.

Com essa mensagem, os diretores aproveitaram para lembrar a todos dos piquetes e do ato no STM e no TSE hoje (8), às 15h.

Alegria, criatividade e união têm sido os motivadores de nossa greve

Junto com os servidores do STJ, no ato das 15h de ontem (7), havia grevistas de vários órgãos. Um dos grupos mais animados era o do Fórum de Ceilândia, que estendeu uma faixa com o título: “STC: Superior Tribunal de Ceilândia em greve”. Além de vestir roupas engraçadas e pijamas, eles gritavam palavras de ordem e não cansavam de acionar a buzina. “Isso é para acordar os servidores que ainda não decidiram participar”, brincou o técnico judiciário Hamilton Alves.

Hamilton conta que tem se informado sobre a greve pelo Diário de Greve, lançado no site do Sindjus. “Leio todas as matérias e tomo conhecimento de tudo, conscientizando-me cada vez mais dos motivos pelos quais lutamos. Se não fizermos greve, não conseguiremos aumento”, avaliou.

Servidor do MPU, o técnico administrativo Valdemar Alves da Cunha disse que participa sempre dos atos e acompanha todas as informações publicadas no site do Sindjus e nos boletins. “Nossos salários estão aquém aos recebidos por outras categorias. A greve é uma forma de pressionar as autoridades para mudar essa realidade”, comentou.

🔥44 Total de Visualizações