Diário da greve – ato no STF: “pode não haver o plebiscito”

Um barulho ensurdecedor incomodou a sessão do STF na tarde de hoje. Centenas de servidores do Judiciário e MPU em greve pegaram apitos, buzinas e sirenes e seguiram para a Praça dos Três Poderes reclamar da demora na aprovação dos Projetos de Lei 6613/09 e 6697/09, que reestrutura a carreira dos trabalhadores.

Unidas aos servidores no DF, duas trabalhadoras do Pará reforçaram o movimento. Conceição Mota, do TRE/PA, e Mônica Genu, da Justiça Federal, Seção Judiciária do Pará, contam que têm um trunfo nas mãos. A greve ameaça a realização do plebiscito para a criação dos Estados do Carajás e Tapajós, conforme antecipou o site do Sindjus.

“O nosso movimento cresce em todo o país. E no Pará, os servidores da Secretaria de Tecnologia da Informação, um dos setores responsáveis pelo plebiscito, já começaram a aderir à greve”, afirmou Conceição. Segundo ela, outros trabalhadores do Pará virão para a Brasília na próxima semana para participar dos atos na Câmara dos Deputados.

Revoltado o servidor da Justiça Federal Geraldo Lopes pede que os colegas participem ainda mais das manifestações. “A luta é árdua e cansativa. O que nos deixa indignados é que deputados e ministros quando querem aumentar os salários deles, não precisam fazer greve”, comentou.

🔥19 Total de Visualizações