A luta continua! Diretores do Sindjus visitam fóruns

Nesta quinta-feira (7), os diretores do Sindjus, Sheila Tinoco e Cledo Vieira, visitaram o fórum de Brazlândia; primeiro local a receber a visita da diretoria desde a suspensão da greve. O objetivo da visita foi o de promover uma avaliação e discutir o que fazer para garantir a aprovação do PL 6613/09.

“Ouvimos todas as críticas dos servidores, sabemos que num processo como esse muitas coisas podem ser melhoradas. Também há muita dúvida que estamos esclarecendo. Muita mentira que foi espalhada e só o contato cara a cara pode repor a verdade”, disse Sheila Tinoco.

“O principal motivo pelo qual convidei os diretores do Sindjus para conversar com os servidores de Brazlândia foi porque que a greve ganhou um número considerável de adesões e durante os piquetes muitos me questionavam sobre o movimento e o andamento das negociações. Entendi então, que o Sindjus poderia cumprir com este objetivo de passar os informes e sanar as dúvidas existentes. Acho que este trabalho de conversar com os servidores em cada local de trabalho tem um papel importante: resgatar a confiança. Acredito ainda que para sairmos vitoriosos devemos procurar uma forte interlocução no Judiciário para vencermos as barreiras que nos foram impostas”, explica Ivanildo de Sousa.

“Depois de tantos dias de greve ficou claro que o sindicato não é só a diretoria. Conquistar esse PCS é responsabilidade de todos. Se digo que o sindicato está errado, eu estou errada. Porque eu sou o sindicato, o colega é, todos somos”, reforça a servidora do fórum de Brazlândia, Priscila Cândida da Costa Hack.

O auditório estava lotado, pois os servidores queriam tirar suas dúvidas sobre o processo de andamento da aprovação do projeto de lei 6613 no Congresso Nacional. “Suspendemos a greve, mas é fundamental manter e ampliar a mobilização dos servidores para o inicio de agosto, onde começaremos com a realização de um ato na Comissão de Finanças e Tributação, no dia 3. Além de acompanhar os trabalhos da comissão criada na última quarta-feira, na CFT, também iremos pressionar o Judiciário para garantir a inclusão da previsão orçamentária do projeto 6613 na LOA”, ressalta a diretora do Sndjus Sheila Tinoco.

“A reunião foi muito boa porque a diretoria do Sindjus nos passou as informações oficiais. O recesso não nos impede de realizarmos nossas atividades, afinal estamos em estado de greve, em alerta. Para que o movimento continue e possamos ganhar mais adesões, acho necessária a realização de atividades e encontros onde possamos discutir o plano de cargos e salários de modo que os servidores se mantenham cientes de suas obrigações”, reforça o servidor do fórum de Brazlândia, Armando Lopes Esbaltar.

Veja abaixo os principais pontos discutidos pelos servidores:

Declaração de Puty sobre a falta de previsão orçamentária – o deputado Cláudio Puty, que foi escolhido pelo governo como presidente da comissão justamente para segurar projetos que o governo não queria ver aprovados, criou uma comissão de negociação com vistas a ganhar mais tempo e não colocar em votação o parecer de Policarpo, feito a partir das decisões da categoria. Puty disse que estaria fazendo isso por não querer que o relatório do Policarpo fosse rejeitado. Por quê? Ele não afirma que o relatório está inadequado? Então por que o medo de colocar em votação? Seria simples, com a rejeição ele nomearia outro relator. Porém, fez show dizendo que estava ao lado dos servidores.

Declaração de Puty sobre a mudança no mérito do projeto – o deputado assessorado pelos consultores da Câmara que defendem que tanto o reajuste pela GAJ (emenda Policarpo) quanto o subsídio (emenda Reginaldo Lopes) são emendas de mérito, portanto, não podem ser objeto de apreciação daquela comissão. Se esse é o problema por que o deputado Puty não vota o 6613 em sua versão original?

Suspensão da greve – a categoria iniciou uma greve com a intenção de promover a negociação, com a instituição da comissão de negociação com prazo para a solução do impasse datado; com o recesso parlamentar que impediria qualquer avanço; com o refluxo do movimento observado nos últimos dias, a assembleia, estrategicamente, decidiu suspender o movimento grevista até agosto.

Convocação de assembleia – a greve requer um estado especial de assembleia permanente, para que as decisões possam ser tomadas de forma rápida e com quem realmente está participando do movimento. Esta assembleia não é geral, mas, dos servidores que estão em greve. Seria impensável realizar uma assembleia para deliberar sobre a suspensão da greve com toda a categoria. É natural que decida sobre a continuidade ou não, somente quem está participando da greve.

🔥49 Total de Visualizações