TJDFT inicia pesquisa para definir futuro da Portaria 37

Acompanhando de perto a aplicação da Portaria 37, do TJDFT, que trata da compensação dos serviços represados durante a greve, o Sindjus vem insistindo com a administração do tribunal pela revogação da portaria em questão, uma vez que o trabalho acumulado já foi normalizado. Isso graças ao esforço dos servidores que, historicamente, se reúnem em mutirão logo após o término da greve para repor o trabalho acumulado.

Essa prática se dá porque os servidores entendem a greve como um evento coletivo. Os servidores decidem, em conjunto, no início da greve quem vai participar da paralisação. Assim, todos se comprometem com a atualização do trabalho. Esses mutirões não acontecem por qualquer determinação da administração, mas por um entendimento entre os próprios servidores. Tanto que a administração parece desconhecer ou fazer vistas grossas a esse esforço conjunto.

Com objetivo de comprovar essa realidade, a administração do TJDFT abriu ontem (30/8) uma consulta virtual aos gestores do órgão para saber a situação da reposição do trabalho paralisado durante a greve. Segundo o próprio site do tribunal, os dados servirão para subsidiar futura decisão sobre compensação dos dias de greve. Isto é, a partir dessa pesquisa, que deve ser respondida até o dia 6 de setembro, a portaria pode ser revogada.

O Sindjus vai continuar batalhando para que a pesquisa reflita a realidade e que assim a administração acabe com a equivocada Portaria 37.

🔥8 Total de Visualizações