Servidores e aposentados protestam no plenário 2 da Câmara. Sessão da CMO é suspensa e remarcada para às 17

Servidores do Judiciário Federal e do MPU de vários estados protestam no plenário 2 da Câmara dos Deputados, enquanto aguardam o início da sessão da Comissão Mista de Orçamento. O motivo das pressões é garantir que a previsão orçamentária dos PLs 6613/09 e 6697/09 sejam incluídos no Orçamento de 2012, que será votado hoje na CMO e amanhã no plenário do Congresso Nacional.

O presidente da Comissão Mista, senador Vital do Rego [PMDB-PB] abriu a sessão, marcada para às 14h, mas a encerrou no mesmo momento, convocando uma nova para às 17h. Segundo o senador, agora as lideranças dos partidos de oposição e do governo ainda estão reunidas para tentar chegar a um acordo em relação aos itens da LOA, que ainda não são consensos para votação. O reajuste dos servidores do Judiciário e do MPU pode estar na pauta dessa reunião, uma vez que na sessão de ontem à noite o deputado Cláudio Cajado [DEM-BA], líder do DEM na CMO, sugeriu o adiamento da votação da peça orçamentária para hoje porque pretendia ainda construir um acordo para votar os PCSs e o reajuste dos aposentados que ganham acima do salário mínimo.

“Estamos tentando avançar num acordo para votar algumas questões. Um deles é o reajuste dos servidores do Judiciário Federal e do MPU. Por isso, sugerimos que a sessão seja transferida para esta quarta-feira [21], às 14h, para que possamos continuar tentando construir uma saída”, disse Cajado ontem. Tudo indica, no entanto, que os líderes dos partidos ainda não chegaram a um acordo para votar o Orçamento.

Enquanto isso, servidores de vários estados, acompanhados de um bom número de aposentados, lotam o plenário onde deve ocorrer a sessão da CMO. Eles gritam palavras de ordem, cobrando do Congresso Nacional autonomia e independência em relação ao Poder Executivo. Entre as palavras de ordem, se destacam: “Congresso, eu quero ver, autonomia e independência acontecer” e “Congresso, presta atenção, ano que vem tem eleição”.

Os servidores continuarão no plenário e prometem sair somente após a sessão da Comissão Mista de Orçamento. “Ficaremos aqui, mantendo as pressões em cima dos parlamentares. Só sairemos depois que tivermos uma definição no Orçamento, quanto ao nosso reajuste. O Executivo passou dos seus limites, interferindo na autonomia dos poderes”, explica a coordenadora da Fenajufe, Jacqueline Albuquerque.

Participam do trabalho de pressão no Congresso, representantes dos sindicatos da Bahia, Alagoas, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, São Paulo, Paraná, Pernambuco, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Paraíba, Santa Catarina e Distrito Federal.

Leonor Costa, direto da Câmara dos Deputados

🔥9 Total de Visualizações