STJ e STF debaterão movimentação extraordinária

A campanha para valorizar os novos servidores por meio da implantação da progressão e movimentação extraordinária nos tribunais e órgãos do Ministério Público segue de vento em popa. Em relação à parte burocrática, o Sindjus já entregou o requerimento solicitando esse instrumento constitucional às administrações do Judiciário e MPU. No que diz respeito às articulações e mobilizações, o movimento também está um sucesso. São várias manifestações de apoio nas redes sociais, no corpo-a-corpo com os coordenadores e no Serviço de Atendimento ao Filiado.

No dia 14 de março o Sindjus realizou uma assembleia no TJDFT para tratar deste tema e o resultado foi o melhor possível: aceitação total da categoria, adesão crescente de servidores jovens e antigos e um sentimento de união em torno das campanhas pela aprovação do PCCR e da movimentação extraordinária. O abaixo-assinado dos servidores do Tribunal de Justiça a favor dessa campanha já contabiliza mais de mil assinaturas.

O Sindjus já se reuniu com a nova administração do TJDFT para tratar deste tema e já solicitou audiência com os presidentes dos outros tribunais e procuradores dos ramos do MPDFT. Para reforçar juridicamente o nosso time pela busca da movimentação extraordinária, o Sindjus convidou o escritório do ex-ministro do STF Carlos Velloso, defensor deste instrumento, para colaborar com esta causa. Sua atuação no Supremo já fez com que diversos servidores fossem beneficiados pela movimentação extraordinária.

Para reforçar ainda mais essa campanha, o Sindjus realizará assembleias no STJ (19/03) e no STF (20/03) para esclarecer possíveis dúvidas dos servidores e dar prosseguimento aos abaixo-assinados. “A movimentação extraordinária é extremamente possível, ainda mais porque depende da boa-vontade de cada administração. Vários tribunais já fizeram uso desse mecanismo no passado. Se a categoria assumir essa luta, com certeza, vamos conquistar essa vitória que beneficiará os novos servidores e a luta pelo PCCR”, afirmou o coordenador-geral do Sindjus Cledo Viera.

É válido lembrar que a movimentação ordinária é diferente da extraordinária, pois enquanto a primeira é disciplina pelas leis 11.415 e 11.416/06, a adoção da segunda depende apenas da dotação orçamentária de cada administração. Portanto, a pressão conjunta dos servidores em cada órgão é fundamental para o êxito desta campanha.

Participe das assembleias (fique de olho no calendário) e também da campanha no Facebook. Digite “Movimentação Extraordinária Já” na barra de pesquisa, clique no link e solicite sua participação. Vamos juntos, na campanha da movimentação extraordinária e na luta pela aprovação do PCCR, em busca da valorização de todos os servidores.

🔥11 Total de Visualizações