Campanha “O legal é jornada igual” cresce a cada dia no STJ

A campanha “O legal é jornada igual” lançada no STJ está um verdadeiro sucesso. Já foram colhidas mais de 500 assinaturas desde o seu lançamento. E esse número tende a se multiplicar. Isso porque, atendendo a um pedido dos próprios servidores, o abaixo-assinado ficará disponível para impressão em nosso site. Dessa forma, os servidores poderão imprimi-lo e ajudar na coleta de assinaturas. As fitinhas já estão em todos os lugares, dando visibilidade à campanha e contagiando mais e mais servidores a cada dia.

Os servidores, que têm sofrido muito com os males do aumento da jornada, estão abraçando essa luta e levando ao conhecimento dos ministros que aqueles que passaram a trabalhar uma hora a mais tiveram sua rotina totalmente prejudicada, não dispondo mais de horário de almoço e de tempo para levar os filhos para a escola, por exemplo. Servidores lesados não só em suas condições de trabalho, mas em sua qualidade de vida.

Graças à participação dos servidores o sindicato pode afirmar que o aumento da jornada traz prejuízos à saúde do quadro, que perdeu o direito de almoçar. Vários servidores ainda reclamam que ou os servidores perdem cerca de uma hora nas filas do restaurante sempre lotado ou ficam com fome. Aqueles que optam por levar marmitas foram proibidos de utilizar a copa para lavar recipientes e talheres. Essas normas proibitivas da administração geram mal-cheiro no ambiente de trabalho e constrangimento aos servidores. Apesar de o diretor-geral ter afirmado aos coordenadores do Sindjus que esses pontos já foram flexibilizados, as reclamações confirmam a tese do sindicato de tratamento desigual no Tribunal.

É um absurdo, mas denúncias de servidores indicam que em determinadas unidades chefes não permitem, em regra, que o funcionário almoce. Não são raros os casos em que servidores e terceirizados são obrigados a ficar até as 15 horas sem almoço ou precisam interromper sua refeição parar atender a um chamado do chefe.

Com o aumento da jornada, a situação do estacionamento se agravou. Tornou-se uma operação de guerra conseguir uma vaga depois das 11 horas. Afinal, agora todos trabalham praticamente no mesmo horário. Não há como o servidor trabalhar em paz sem a certeza de que ele vai encontrar uma vaga que lhe permita chegar a tempo de cumprir sua jornada de trabalho.

O aumento da jornada de trabalho e o que ele acarreta gera entre os servidores do STJ desmotivação, que reflete diretamente na produtividade, no compromisso com a instituição e na harmonia institucional. Nossa campanha está levando todas essas insatisfações aos ministros do STJ e esperamos sensibiliza-los para que o mesmo tratamento que eles justamente dão aos seus servidores seja estendido a todo o tribunal. Imprima aqui o manifesto.

🔥18 Total de Visualizações