Reunião da Fenajufe com sindicatos orienta intensificação das mobilizações nos próximos dias e aprova “apagão” de 48 horas

Categoria deve paralisar totalmente os trabalhos nos dias 4 e 5 de julho, com foco na Justiça Eleitoral. Toda quarta-feira será dia nacional de “apagão” do Judiciário e do MPU, na luta pelo PCS, com paralisações e atos nos estados e pressão na CFT, em Brasília

Manter e ampliar as mobilizações em todo o país, com paralisações, atos, manifestações de rua e assembleias, visando a construção da greve em nível nacional, é a orientação definida na reunião da diretoria da Fenajufe com um representante de cada sindicato filiado, realizada nesta quarta-feira (20), em Brasília. O encontro, que definiu os encaminhamentos por consenso, reforça a necessidade de os sindicatos garantirem a ampliação e intensificação do movimento.

A partir das dificuldades apontadas pela maioria das falas da reunião, a definição dos coordenadores da Fenajufe e dos dirigentes estaduais foi pela manutenção das paralisações de 24 horas e outras atividades nos estados nesta quinta-feira, 21 de junho, e a intensificação das atividades no próximo período, com o objetivo de garantir a ampliação da mobilização da categoria e a deflagração de um movimento de greve forte e unificado em todo o país. Nesse sentido, foi definido o imediato Estado de Greve da categoria (que já deve ser comunicado pelos sindicatos às administrações), com destaque, além das atividades deste dia 21, para o indicativo, aos sindicatos de base, de nova greve de 48 horas nos dias 4 e 5 de julho, com foco na Justiça Eleitoral, o que foi denominado como “Apagão” do Judiciário Federal e MPU. Nesse período, termina o prazo para o registro das candidaturas daqueles que vão participar das eleições municipais de outubro. Na avaliação dos presentes à reunião de hoje, é fundamental aproveitar esse calendário eleitoral para mostrar à cúpula do Judiciário que se não houver a negociação necessária à aprovação do PCS, a mobilização dos servidores pode comprometer as eleições de outubro.

Ainda como parte da estratégia de aproveitar o processo eleitoral nos municípios, a Fenajufe vai elaborar um documento destinado aos partidos políticos, em que a categoria pedirá manifestações de apoio à agilidade nas negociações entre os três poderes. Essa carta será encaminhada aos sindicatos filiados para que os mesmos também a enviem aos diretórios estaduais e municipais de todos os partidos políticos.

A reunião também indica que toda quarta-feira será Dia Nacional de Luta pelo PCS, com os sindicatos realizando “apagões”, paralisações e atos em todos os estados. Nesses dias, além das manifestações nas capitais, os sindicatos também deverão enviar representantes à Brasília para acompanhar as sessões da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, visando à intensificação das pressões em cima dos deputados.

Fonte: Fenajufe

🔥7 Total de Visualizações