Servidores levam indignação às portas do Correio Braziliense


Os servidores, indignados com os reflexos da Lei da Manipulação, protestaram em frente à sede do Correio Braziliense na tarde desta quinta-feira (5/7) com a edição de hoje do jornal que trouxe na capa manchete dizendo que servidor do TJDFT ganha mais de R$ 100 mil por mês. Animados por uma banda de música, os servidores se deslocaram do TRE, onde ocorreu o segundo dia do apagão na Justiça Eleitoral, fechando a via, em passeata, até o prédio do jornal.

Ao som de bateria de escola de samba e de apitos, os servidores demonstraram toda a indignação empunhando seus contracheques. Durante a manifestação, os servidores deram as costas à sede do jornal e fizeram um minuto de silêncio e vários minutos de vaias. Servidores da sede do TJDFT, do Mirabete, dos fóruns da Ceilândia, de Samambaia e de Taguatinga, além de servidores do TRE, exigiram respeito e coerência do jornalismo praticado pelo Correio.

Cantando paródias com a palavra mentira, em ritmo de axé, os servidores picotaram a primeira página do Correio e colocaram fogo. O servidor do Fórum de Taguatinga, Antônio Caetano, afirmou que os jornais precisam divulgar a realidade e não mentiras que só fazem prejudicar a luta dos servidores do Poder Judiciário. Em sua avaliação o ato foi bom, com a participação de um grande número de servidores, que deram seu recado ao Correio Braziliense.

O ato chamou a atenção dos funcionários do jornal, da população e da mídia televisiva, que fez a cobertura do evento. A coordenadora Sheila Tinoco traduziu como exitosa a manifestação desta tarde, que deixou claro o espírito aguerrido da nossa categoria.

🔥13 Total de Visualizações