Sindjus se reúne com Ajufe e Ajufer para tratar da greve

Os coordenadores do Sindjus Ana Paula Cusinato e Cledo Vieira reuniram-se, na manhã desta terça-feira (31), com o presidente da Ajufe, Nino Toldo, com o presidente da Ajufer da 1ª Região, Roberto Veloso, e outros dirigentes da Associação dos Juízes Federais para tratar da greve dos servidores do Judiciário, a partir do dia 1º de agosto, pela aprovação do PL 6613/09.

A reunião foi motivada pela reivindicação de servidores durante a realização das assembleias setoriais da Justiça Federal com objetivo de buscar a compreensão e apoio dos magistrados ao nosso movimento grevista. A expectativa é a de fortalecer o movimento grevista.

“Esse contato é importante porque muitos servidores nas varas trabalham diretamente com os juízes. É fundamental deixar claro à magistratura a razão dessa greve e a importância da participação de cada servidor para alcançarmos o resultado esperado, que é a valorização do Judiciário, que não pode ficar refém do Executivo”, explicou Ana Paula.

O presidente da Ajufe, durante a reunião, expôs sua preocupação com o problema do impacto orçamentário. Os coordenadores do Sindjus explicaram que a proposta que será enviada pelo presidente Ayres Britto contempla o pagamento parcelado. Ana Paula frisou que independentemente de qualquer divergência de opinião quanto ao plano entre magistrados e servidores, a luta contra o tratamento desrespeitoso por parte da presidenta Dilma a todo o Judiciário com sua política de reajuste zero deve ser um fator de união.

Os coordenadores também esclareceram a razão da greve acontecer agora, justificando que a mobilização precisa aproveitar o momento em que o Orçamento de 2013 está sendo fechado e que os deputados estão voltando do recesso. Ana Paula enfatizou que a parceria bem sucedida entre magistrados e servidores em 2002 deve ser resgatada.

O presidente da Ajufer destacou que ficou impressionado com a falta de adesão à greve passada no Distrito Federal. “Brasília é o carro chefe, a mobilização daqui é que resolve. Porém, a mobilização só terá resultado se os servidores realmente aderirem à greve. Só a adesão de todos será capaz de mudar a política de reajuste zero imposta pelo governo federal”, afirmou Roberto Veloso.

As associações compreenderam a necessidade de valorização salarial dos servidores e da defesa da independência do Judiciário. A Ajufe solicitou ainda que o Sindjus encaminhasse um manifesto sobre a greve, o que deve ser feito entre hoje e amanhã.

🔥12 Total de Visualizações