Notas oficiais da greve

Oficiais da Justiça Federal dão o exemplo

Os oficiais da Justiça Federal no DF estão se destacando na greve dos servidores pelo reajuste dos salários. Os colegas resolveram aderir em massa e estão plantados na central de mandados para impedir a entrada de ordens judiciais que não tenham natureza exclusivamente urgente. A presença dos colegas nos atos realizados pelo Sindjus é constante, dá orgulho do trabalho desta gente.

No início desta semana o Coordenador Jurídico do Sindicato se reuniu com a diretora do Núcleo Judiciário para solicitar a suspensão da distribuição dos mandados para os grevistas, até para evitar que os mesmos fossem devolvidos sem diligência em razão da greve e viabilizar o cumprimento com maior rapidez quando for encerrada a paralização, ficando a diretora de analisar o pedido.

São Sebastião adere em massa à greve

Após reunião com o Coordenador Jurídico do Sindjus, os oficiais de São Sebastião aderiram unanimemente à greve convocada pelo Sindicato. Berço de lideranças importantes dentro do oficialato, o Fórum não poderia ficar de fora desta luta pelo resgate da nossa dignidade. Os colegas se mostraram conscientes de que o momento de se fazer a história é agora e que até o dia 31 temos que demonstrar ao Governo Federal que não somos servidores de segunda categoria e que lutaremos com todo afinco pelo Nosso PCS. Aos briosos colegas de São Sebastião, nossos parabéns!

Oficiais de Santa Maria fecham PDM e fazem arrastão no Fórum

Com adesão maciça dos oficiais do Fórum de Santa Maria (apenas uma colega continua trabalhando normalmente), os oficiais deram uma demonstração de comprometimento com a categoria e com a luta pelo nosso reajuste. Não satisfeitos em parar as atividades, os colegas fizeram um arrastão pelos vários setores do Fórum para conscientizar os servidores internos que ainda não haviam parado a também ingressarem na luta. É esse espírito de comprometimento e de luta que está tomando corpo como nunca antes em nossa categoria, os colegas estão, em cada vez maior número, se conscientizando de que a luta deve ser de todos.

Sindjus se reúne com Secretário Geral e Diretor Geral do STF

Após um ato maravilhoso realizado pelos servidores do Judiciário e MPU na praça dos Três Poderes, que no seu auge paralisou a Esplanada dos Ministérios e forçou a presidente Dilma a sair do palácio do Planalto pelas portas do fundo, os diretores do Sindjus/DF foram chamados para uma conversa com o Diretor Geral do Supremo e com o Secretário Geral da Presidência daquele órgão. No encontro os interlocutores informaram que o orçamento do Judiciário havia sido remetido ao Executivo com a inclusão das duas primeiras parcelas do Reajuste para 2013, mas que a Secretaria de Orçamento, assim como fez ano passado por ordem da presidente Dilma, não liberou o acesso ao sistema informatizado de orçamento, o que obrigou os Tribunais a remeterem as propostas via ofício no último dia do prazo (15). Também nos foi dito sobre a posição do Ministro Aires Brito de defender a impossibilidade de cortes orçamentários de forma unilateral pelo Poder Executivo. A Direção do Sindicato cobrou maior pressão do Judiciário para defender sua autonomia, inclusive com o julgamento, se necessário, da ADIN que trata do corte orçamentário ocorrido no ano passado.

Também foi explicado que até o momento o Governo não apresentou nenhuma proposta de reajuste que inclua o Judiciário, mais uma vez o Governo Dilma trata com descaso esta importante parcela de Servidores.

Os representantes do STF prometeram preparar uma agenda para o encontro entre a diretoria do Sindicato e o Presidente Aires Brito. Também ficou acertado que o trabalho do SIndjus dentro do STF não mais será vetado.

Percentual propalado na imprensa não inclui reajuste para os servidores do Judiciário

Desde ontem a imprensa nacional vem noticiando sobre um possível acordo proposto pelo Executivo que concederia 15% de reajuste para os servidores em greve, de forma parcelada em 03 anos. Este percentual, se é que não se trata de mais uma manobra do Governo para esvaziar a greve, se refere única e exclusivamente aos servidores do Poder Executivo. Para o Judiciário e MPU não se fala em nenhum índice de reajuste até o momento, o descaso com nossa categoria é latente e a única forma de mudarmos isso é construindo a maior greve já vista no Distrito Federal e no Brasil.

O momento é de aprofundar a greve

Colegas, estamos enfrentando um Governo autoritário que não respeita a autonomia do Poder Judiciário e que se nomeia dono do orçamento Federal. Vários Estados estão ingressando esta semana na greve, reforçando este movimento de revolta que teve início com os servidores do Judiciário e MPU no Distrito Federal. Precisamos despertar nos servidores que ainda não aderiram ao movimento de paralização iniciado pelo SINDJUS, sobre a importância de fazer-mos crescer o movimento. A luta deve ser de todos, não podemos arrefecer no momento em que o Executivo se prepara para consolidar o orçamento de 2013. Até o dia 31, precisamos ampliar o nosso movimento para deixar claro que não aceitaremos qualquer tipo de corte unilateral do Governo Dilma e que exigimos um acordo que nos garanta a aprovação dos planos de reajuste. Todos à greve, todos na luta pelo nossos direitos, todos na luta pela nossa dignidade.

O que acontece com os oficiais do Plano Piloto?

A greve está forte e consolidada entre os oficiais de justiça do TJDFT, principalmente nos fóruns das satélites, mas é preciso reforçar o movimento entre os colegas do Plano Piloto. É preciso acabar com pseudos rótulos que distanciam os oficiais de Brasília dos colegas dos demais fóruns. Somos todos oficiais, somos todos servidores, estamos todos sendo massacrados pela política de um governo que achicalha o servidor do judiciário. Não existem oficiais de elite, ninguém pode se considerar melhor que o outro, todos precisamos sair de nossa zona de conforto e enfrentar a situação posta de frente, dando sua parcela de sacrifício até que sejamos vitoriosos.

Todos sabemos da importância de uma adesão maciça dos oficiais do plano piloto, local onde há uma maior concentração de colegas. Mas é preciso conscientizar os colegas para isso, desta fora é importante que mandemos e-mails, mensagens, façamos ligações para incentivar nossos amigos do plano a fazerem parte na luta pelo nosso destino. No início da semana a direção do sindicato privilegiará nova reunião com colegas do Plano e da Vara da Infância e da Juventude para reforçar nossa greve.

Que justificativa o oficial do TJDFT tem para não entrar na greve?

Depois de tantas reuniões do Sindicato com os colegas, depois de tantas explicações sobre a situação específica do oficial no TJ, depois de sermos massacrados por uma política salarial que achata nosso poder de compras há mais de 8 anos (já que o referencial do plano de 2006 foi a defasagem existente em 2004), resta a pergunta: Que justificativa tem o oficial do TJDFT que ainda está trabalhando para nao aderir à greve?

Comando de greve agenda vários atos para a próxima semana

Segunda – Piquetes nos locais de trabalho;
Terça – Ato no MPOG às 16 horas, com passeata até o Palácio do Planalto; reunião da direção do Sindjus com o Ministro Aires Brito;
Quarta – Caravanas solidárias para TRE e TST, local de concentração será informado no site do Sindjus;
Quinta – Ato no STF, às 16 horas, com concentração à partir das 14:30h no TSE;
Sexta – Piquetes nos locais de trabalho e reunião do comando de greve, a partir das 16 horas, no auditório da CUT.

SINDJUS/DF – TRABALHANDO PELA VALORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DO SERVIDOR DO JUDICIÁRIO E DO MPU NO DISTRITO FEDERAL

🔥17 Total de Visualizações