Arrastão percorre TST contra proposta de 15%

Os servidores do TRT, além de fazerem piquete em seus locais de trabalho, estão, nesta quarta-feira (22), realizando um arrastão solidário no TST para convencer os colegas a lutarem contra essa proposta vergonhosa de reajuste salarial de 15% parcelado em 3 anos, ouvida durante reunião entre representantes do Sindjus e da Fenajufe com o ministro Britto, na noite de ontem (21).

A intenção é conscientizar os servidores sobre a importância de comparecerem, nesta quinta (23), ao ato em frente ao Supremo para dizer, em uníssono, um “não” a essa proposta. Os coordenadores do Sindjus Cledo Viera e José Oliveira, acompanhados da delegada sindical Lucicleide, acompanhados dos servidores do TRT, já percorreram três andares do TST. E o arrastão vai seguir a todo vapor. “Além de nos unir para intensificar a greve, precisamos nos unir para rejeitar essa proposta absurda”, explicou Cledo.

O arrastão tenta convencer os servidores do TST, que ainda não aderiram a greve por medo do corte de ponto, de que a inflação dos últimos seis anos sem reajuste salarial já foi responsável pela corrosão de 32% de seus salários. Afinal de contas, não pode existir prejuízo maior que esse. Além disso, os grevistas estão conscientizando os colegas que ainda não aderiram à greve sobre uma decisão de ontem do Conselho Nacional de Justiça que mudou, melhorou um pouco, a decisão anteriormente tomada contra os servidores em greve.

O Conselho, ao entender que a Resolução 86 afrontava a autonomia administrativa dos tribunais, extirpou dois grandes entraves ao direito de greve contidos na resolução. Com isso, permite a compensação, a critério de cada TRT. Agora, as administrações vão poder negociar com os sindicatos a situação dos servidores que fizerem greve. “Essa decisão tem tudo para fortalecer a nossa greve”, pontuou Cledo.

🔥13 Total de Visualizações