Brito apresenta proposta de 15,8% em 3 anos. Servidores devem rejeitar essa proposta em reuniões nos locais de trabalho

Na noite de ontem (21), os coordenadores do Sindjus Alexandre Mesquita, Ana Paula Cusinato, Cledo Vieira e Jailton Assis reuniram-se com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres Britto, conforme havia sido combinado na semana passada.

Logo no início da reunião, que durou quase 3 horas, Ayres Britto informou que o governo apresentou, na manhã de ontem, proposta de reajuste de 15,8% escalonado em 3 anos. Informou também que o STF nem aceitou nem rejeitou a proposta, que está em estudo.

De forma enfática, os coordenadores do Sindjus afirmaram que a proposta de 15,8% em 3 anos não contempla a categoria, única sem reajuste há mais de seis anos, e que precisa ser considerada pelo STF como início de negociação, cabendo também ao Supremo defender que a proposta seja melhorada até chegar ao atendimento da demanda dos servidores.

A coordenadora do Sindjus Ana Paula Cusinato afirmou ao ministro que “15,8% em 3 anos é a mesma proposta apresentada a categorias do Executivo que tiveram reajustes há 2 ou 3 anos. Os servidores do Judiciário e do MPU estão há 6 anos sem reajuste. Logo, há argumentos para exigir a ampliação desse percentual, além do fato de nossa remuneração já ser defasada em relação à maioria das categorias do Executivo.”

Nesse sentido, Jailton Assis, coordenador do Sindjus, ressaltou a necessidade de um encontro entre o ministro Ayres Britto e a presidenta Dilma antes do dia 31 de agosto: “É fundamental que Vossa Excelência vá pessoalmente até a presidenta Dilma antes do dia 31 para que a negociação possa avançar. A negociação precisa ter o peso institucional, de poder para poder.”

O ministro Ayres Britto afirmou que concorda com os argumentos apresentados pelo Sindjus, que vai estudar a proposta apresentada pelo Planejamento e que irá pessoalmente à presidenta Dilma. “Para mim, o dia 31 é o dia D. Vou continuar a defender os servidores porque acredito que é preciso valorizar as carreiras para manter o Judiciário.”

Também participaram da reunião os coordenadores da FENAJUFE José Oliveira, Pedro Aparecido e Melqui. Pelo STF, participaram da reunião o diretor-geral Amarildo Vieira e o secretário-geral da Presidência Antair Valente.

“Greve precisa ser ampliada para que a proposta apresentada seja melhorada e consigamos chegar no dia 31 com o orçamento necessário à aprovação dos projetos 6613 e 6697!” defendeu Jailton.

Proposta tem que ser debatida em todos os locais de trabalho

O sindjus orienta a todos os membros dos comandos nos locais de trabalho que debatam com os servidores a proposta de 15% em 3 anos. A decisão de cada local deve ser informada à nossa central de atendimento no telefone 3212 2619.

🔥15 Total de Visualizações