Quadro da greve atualizado

Continuam em greve por tempo indeterminado pela aprovação da revisão salarial oito estados (Mato Grosso, Bahia, Rio Grande do Sul, Alagoas, Minas Gerais, Piauí, Ceará e Pará), a JT da 15ª Região e o Distrito Federal, sendo que alguns realizam assembleia nesta segunda e terça-feira para discutir se continuam ou não com a paralisação. Dos estados que estavam em greve, Paraíba, Rio de Janeiro, Amazonas, Santa Catarina, São Paulo e Goiás decidiram interromper o movimento e continuar lutando pelo reajuste salarial. Já outros estados não chegaram a deflagrar a greve por tempo indeterminado, mas alguns, como Espírito Santo, Maranhão, Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte fizeram paralisações parciais e atos públicos para pressionar os três poderes a fecharem um acordo favorável à reivindicação da categoria.

Confira abaixo os estados que seguem em greve pela aprovação dos PCSs.

Distrito Federal: Os servidores do DF, em greve desde o dia 1º de agosto, participam na terça-feira (04) de assembleia geral para discutir os rumos do movimento. A greve atinge todos os tribunais superiores, o TJDFT e os órgãos do MPU.

Mato Grosso: A greve iniciada em 8 de agosto atinge os três ramos do Judiciário: TRT, TRE e JF. Nesta segunda-feira (03) à tarde haverá assembleia geral na JF. A categoria já havia rejeitado a contraproposta do STF.

Bahia: Segundo o Sindjufe-BA, a greve atinge os três ramos do Judiciário Federal. Em assembleia na semana passada, a categoria rejeitou a contraproposta do STF e decidiu manter a greve por tempo indeterminado. Nesta terça-feira (03), será realizado ato no TRT e na quarta-feira (05) haverá assembleia geral, no TRE, para discutir os rumos do movimento.

Rio Grande do Sul: A greve no Rio Grande do Sul tem adesão dos servidores da Justiça do Trabalho e da Justiça Eleitoral de Porto Alegre e de algumas cidades do interior. Na Justiça Federal, a categoria faz paralisação de 2 horas. Os servidores, que em assembleia na última quinta-feira (30), aceitaram a contraproposta do STF, participam nesta terça-feira (04) de assembleia geral para decidir de continuam em greve.

Alagoas: Em Alagoas, a categoria está em greve no TRE, TRT, JF e no MPU. Na última sexta-feira (31), eles fizeram ato público unificado em frente à Procuradoria da República. Em assembleia na quinta-feira (30) a categoria decidiu rejeitar a contraproposta do STF.

Minas Gerais: A greve em Minas conta com a participação dos servidores da JT e da JF. No TRE, a participação da categoria é pequena. Além de BH, 11 cidades do interior participam do movimento. Os servidores rejeitaram a contraproposta do governo, mas realizam nesta terça-feira (04) assembleia geral para decidir se continuam com a paralisação.

Piauí: Greve mais forte do TRE, mas movimento conta com a participação de todos os ramos do Judiciário. Categoria rejeitou contraproposta do STF e em assembleia desta semana deve discutir a continuidade do movimento.

Pará: Em assembleia na última sexta-feira (31), os servidores da Justiça Eleitoral do Pará decidiram manter a greve, por considerar que o reajuste salarial da categoria ainda não está garantido e que outros acordos fechados anteriormente já foram descumpridos.

JT 15º Região: Em assembleia geral nesta segunda-feira (31), a maioria dos servidores da JT-15 decidiu continuar em greve para tentar melhorar a proposta do reajuste encaminhado ao Congresso Nacional. A decisão, que ocorreu em frente ao Fórum Trabalhista de Campinas e demais localidades onde os servidores permanecem paralisados pelo PCS, contou com a presença dos grevistas que ouviram as últimas informações referentes ao envio da proposta do STF ao Congresso Nacional e os indicativos aprovados na Reunião Ampliada da Fenajufe.

Estados que encerraram a greve

Amazonas: Servidores da Justiça do Trabalho do Amazonas decidiram nesta segunda-feira (03) encerrar a greve pelo PCS. A categoria também decidiu rejeitar a contraproposta e continuar o trabalho no Congresso para melhorar a proposta de reajuste enviada pelo STF, na última sexta-feira (31).

Rio de Janeiro: Em assembleia geral na quinta-feira (30), a maioria dos servidores do Judiciário Federal do Rio votou por aceitar a proposta do governo federal acordada na quarta-feira (29) com o Supremo Tribunal Federal e pelo fim da greve.

Paraíba: Em assembleia geral realizada na última quinta-feira (30) os servidores do Judiciário Federal da Paraíba decidiram suspender a greve. iniciada na última segunda-feira (27), e aceitar a proposta oferecida pelo STF.

Goiás: Em assembleia setorial nesta segunda-feira, os servidores do TRT aceitaram a proposta do STF e deliberaram pela suspensão da greve. Na Justiça Federal, a setorial rejeitou a proposta do STF, mas aprovou também pela suspensão da greve. No TRE, servidores aceitaram a contraproposta do STF e deliberaram pela suspensão da greve.

Santa Catarina: Em Santa Catarina, os servidores da Justiça Federal decidiram, em assembleia nesta segunda-feira (03), interromper a greve e retornar ao trabalho nesta terça-feira (04). Na Justiça Eleitoral, a categoria, que rejeitou a contraproposta do STF, já havia decidido pelo fim da greve na última sexta-feira (31).

São Paulo: Em São Paulo, assembleia desta segunda-feira (03) decidiu suspender a greve, mantendo o estado de greve para pressionar a negociação dos dias parados e outras pendências.

Fonte: Fenajufe

🔥38 Total de Visualizações