Jornal de Brasília: Tribunal de Contas do DF institui o trabalho a distância

Servidores do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) poderão, a partir de 1º de janeiro de 2013, trabalhar fora das dependências do Tribunal, conforme determinação assinada pela presidente Marli Vinhadeli e publicada no Diário Oficial do DF do dia 14 de novembro. O regime foi denominado de “teletrabalho”.

Quem ganha com isso?

Na justificativa para a decisão, a presidente do TCDF ressalta as vantagens do trabalho à distância, que pode aumentar a produtividade dos servidores, destacando que “motivar e comprometer as pessoas são objetivos estratégicos a serem perseguidos pelo Tribunal”, conforme o plano estratégico da instituição. Diz que os servidores ganham com a medida, porque podem gerenciar melhor seu tempo. E que a sociedade também se beneficiará dos resultados advindos da adoção da sistemática. Na prática, portadores de deficiência, gestantes e lactantes terão preferência para a realização do serviço remoto.

Virtual

De acordo com o texto, o “teletrabalho” deve ser compatível com o ambiente virtual, podendo ser controlado remotamente e o resultado possa ser entregue em meio eletrônico. Preferencialmente, serão realizadas atividades que demandem maior esforço individual e menor interação com outros servidores. É o caso de pareceres, relatórios, roteiros, estudos especiais e propostas de normas e de manuais.

Limitado a 30% dos servidores

No texto não fica claro quantos servidores poderão realizar o trabalho fora do TCDF. O decreta apenas limita em 30% o número de servidores por unidade. Não terão acesso à modalidade os servidores em estágio probatório; que tenham subordinados ou que nos dois anos anteriores ao início do teletrabalho tiverem incorrido em falta disciplinar.

Experimental

Nos 12 primeiros meses, o teletrabalho no TCDF terá caráter experimental e será avaliado por uma comissão composta por quatro servidores.

🔥56 Total de Visualizações