Pro-Social: Transparência já!

Servidores do TRF e Justiça Federal exigem transparência no Pro-Social

Nesta quinta-feira (4 de julho), os servidores do TRF e da Justiça Federal repetirão o ato público contra o reajuste arbitrário do Pro-Social, exigindo transparência imediata em seu plano de saúde.

Na segunda-feira (1º), data em que a Resolução 6 entrou em vigor, cerca de 100 servidores do TRF e da Justiça Federal protestaram em frente ao Sede 1, exigindo respostas às solicitações do Sindjus:

– adiamento da implantação da Resolução 6, que reajusta o Pro-Social em até 150%, até a realização de estudo

– realização de cálculo atuarial para diagnosticar o real problema do Pro-Social, com demonstração clara do aumento exponencial de despesas e com proposta de cortes

– disponibilização imediata de documentos contábeis

– criação de Conselho Fiscal composto por 2 servidores e 1 magistrado eleitos

– corte imediato de todas as despesas que não são de plano de saúde, mas são custeadas pelo Pro-Social, como o pagamento de terceirizados

– maior participação de representantes dos servidores no Conselho Deliberativo

Durante o ato de segunda-feira, vários servidores falaram sobre a indignação de estarmos vendo o povo brasileiro indo às ruas exigir, entre tantas pautas prioritárias para o País, a transparência na gestão e no gasto público e em seu próprio local de trabalho, o TRF, haver tanta dificuldade em se administrar o plano de saúde.

Não dá para aceitar que o Pro-Social passe por uma crise sem um estudo aprofundado de sua saúde financeira, que mostre qual o real problema. Não dá para aceitar que se reajuste a contribuição do Pro-Social sem cortar gastos que deveriam ser custeados com o orçamento do próprio Tribunal.

É por isso que os servidores do TRF e da Justiça Federal decidiram fazer um novo ato público contra o reajuste arbitrário do Pro-Social nesta quinta-feira, às 13 horas, em frente ao Edifício Sede 1 do TRF.

Exigimos transparência já!

🔥21 Total de Visualizações