Insatisfeitos com reforma, servidores de Sobradinho reivindicam novo Fórum

Os servidores do Fórum de Sobradinho, reuniram-se, no final da tarde do dia 18, para discutir a questão das obras de revitalização que devem começar nos próximos dias e se estender por dez meses. O Sindjus, que está tomando todas as medidas necessárias para evitar que o drama sofrido pelos servidores de Planaltina em reforma semelhante se repita em Sobradinho, informou aos servidores o andamento e os detalhes da negociação que tem sido feita junto à administração do TJDFT para garantir a saúde e a segurança de todos os que trabalham e frequentam o Fórum.

Os coordenadores Sheila Tinoco, José Oliveira, Cledo Vieira e Ana Paula Cusinato se revezaram nos informes e esclarecimentos, passando aos servidores o que ficou acordado entre o sindicato e a administração do TJDFT na última reunião, realizada no dia 16. A partir da cobrança do Sindjus, a administração comprometeu-se a isolar as áreas em obras e que não haverá barulho durante o expediente. Além disso, ficou acordado que os servidores só podem ser transferidos para locais adequados e salubres.

“Nada de simplesmente jogar os servidores no subsolo, sem ventilação e ar-condicionado. Vamos batalhar para que nenhum servidor seja alocado no subsolo. Agora, se essa transferência for realmente inevitável, que sejam asseguradas condições dignas de trabalho. O servidor pode ter certeza de que vamos fiscalizar essa reforma de perto, assim como estamos abertos para receber denúncias e tomar as providências devidas. Se for preciso, interditamos a obra”, frisou Sheila Tinoco. Outra exigência feita pelo sindicato e acatada pelo tribunal foi de que o executor da obra ficará presente em Sobradinho, de modo a responder diretamente por esse processo.

E não é somente a poeira e o barulho que preocupam os servidores. A maior indignação está relacionada ao fato de que a revitalização custará algo em torno de R$ 3 milhões e não resolverá o problema de espaço do Fórum. Isso porque é responsável por atender não só a cidade de Sobradinho, mas toda região, como Sobradinho II, Fercal, Condomínios, totalizando cerca de 250 mil habitantes. “Os servidores não querem uma maquiagem, mas uma solução para o ‘apertamento’ que se transformou o Fórum de Sobradinho; um problema que, por si só, inviabiliza a existência de um ambiente saudável de trabalho”, explicou Cledo Vieira.

A principal reivindicação dos servidores é a construção do novo fórum na cidade, uma vez que o GDF já doou o terreno para essa edificação. O coordenador José Oliveira (Zezinho) lembrou que a nova Lei nº 11.617/08 (Lei de Organização Judiciária do TJDFT) prevê a abertura de mais seis cartórios na cidade, o que só será possível se o novo fórum for construído. “Está na hora da administração do TJDFT começar a pensar de forma macro, investindo no que é melhor para magistrados, servidores e sociedade. E o melhor em Sobradinho, nesse momento, é a construção do segundo fórum”, argumentou José Oliveira (Zezinho).

Para o Sindjus, o pleno acesso à Justiça efetiva e de qualidade depende também de uma estrutura física adequada. Os servidores de Sobradinho têm a clareza de que a reforma não resolverá o problema de limitação de espaço e que a administração do Tribunal deve viabilizar a construção do novo fórum, que irá beneficiar o jurisdicionado de toda a região próxima a Sobradinho.

🔥8 Total de Visualizações