Sindjus apura que não há risco de desabamento do prédio do CNJ (514 Norte)

Sindicato tem acesso a laudo e garante acompanhamento técnico em reforma

O coordenador-geral do Sindjus, Jailton Assis, atendendo a uma preocupação dos servidores do prédio da SEPN 514 onde funciona parte do CNJ, conversou, na manhã desta quinta-feira (26), com o secretário-geral do Conselho, Sérgio Pedreira, com objetivo de buscar informações sobre a situação do prédio e de garantir a segurança dos que ali trabalham.

Além das afirmações de Pedreira, Jailton verificou o laudo técnico que atesta que não há qualquer risco estrutural do prédio. Se houvesse tal risco, o Sindjus, assim como já fez no TJDFT, exigiria a desocupação imediata do prédio. Porém, felizmente, não é o caso.

Embora a estrutura da edificação não esteja comprometida, Jailton discorreu sobre o constrangimento psicológico que as trincas e rachaduras exercem sobre os servidores.

O secretário-geral explicou que em razão de o prédio ser velho e contar com problemas elétricos, hidráulicos e de impermeabilização, o CNJ planeja realizar uma reforma para solucionar tais pontos.

Jailton acertou com Pedreira que o Sindjus vai acompanhar de perto todas as etapas desta possível reforma, inclusive indicando um engenheiro de segurança no trabalho que vai zelar pela integridade física e pelo bem-estar dos servidores.

Ainda não há previsão do início da reforma, pois o projeto ainda será encaminhado ao presidente do CNJ, ministro Joaquim Barbosa, que avaliará, entre outros pontos, a necessidade de desocupação do prédio durante as obras. No entanto, Jailton já deixou claro que se o engenheiro indicado pelo sindicato apontar a necessidade de desocupação, o Sindjus vai oficiar Barbosa neste sentido.

🔥17 Total de Visualizações