Sindicato realizará seminário sobre reajuste dos servidores do Judiciário e do MPU

No dia 8 de outubro, o Sindjus
realizará seminário para
debater a situação salarial dos servidores do Poder Judiciário e do Ministério Público
da União, que acumulam perdas
salariais desde a implantação o
PCS de 2006.

O STF e, por consequência, a
PGR deixaram de se empenhar de
fato pela valorização das carreiras
dos servidores, o que ficou claro
com a quebra da promessa de a
GAJ/GAMPU ser de 100%, e mais ainda com o envio de projetos de
lei apenas para reajuste dos salários dos magistrados e membros
do Ministério Público no dia 30 de
agosto ao Congresso Nacional.

O descaso das cúpulas do
Judiciário e do MPU em relação
à valorização salarial da nossa
categoria fortalece a política de
“reajuste zero” adotada pela
presidenta Dilma Rousseff. Está
na hora do presidente do STF e
do PGR assumirem a responsabilidade institucional, defendendo
aqueles que são responsáveis
pelo funcionamento da Justiça –
os servidores.

Para debater a organização
de nossa luta e também qual a
proposta de reajuste levaremos
ao STF e à PGR, o Sindjus pretende realizar este seminário,
ouvindo especialistas e, principalmente, dialogando com seus
filiados.
O seminário acontecerá no dia
8 de outubro, das 17 às 22 horas,
na LBV.

Continuidade do debate

Nos dias 23 e 24 de maio, o Sindjus
promoveu, na LBV, o seminário “Nossa Luta é Pela Equiparação Salarial”,
lançando assim oficialmente a campanha pela equiparação salarial dos
servidores do Judiciário e do MPU
com os servidores da Câmara dos
Deputados.

Reunião de delegados aponta prioridade de discussão salarial

O Conselho de Delegados Sindicais, em reunião no dia 13 de setembro, debateu a questão salarial de
nossa categoria, entendendo que é
preciso fazer uma distinção entre o debate salarial e a discussão de carreira.
“Iniciaremos a campanha salarial.

Uma das nossas lutas será pela equiparação salarial com os servidores da
Câmara dos Deputados. São carreiras
análogas, com as mesmas complexidades e importância para a sociedade,
porém com enorme defasagem remuneratória entre elas. Não podemos
deixar de sonhar. Deveremos centralizar todos esforços, manter a unidade

buscar apoio dos presidentes dos
tribunais e parlamentares. Temos que
ter consciência que é através da mobilização da categoria é que poderemos
concretizar esse sonho que é de todos”, explicou a delegada sindical da
VIJ Sandra Menezes Mota.

Marcos Ronaldo, delegado sindical da PGR, afirma que “é inadmissível que o presidente do STF
e o PGR só estejam preocupados
com a recomposição salarial de
seus respectivos membros. Por
isso, é fundamental que os servidores, desde já, comecem a organizar a mobilização para recuperar as perdas salariais dos últimos anos”.

Por isso, uma das deliberações da
reunião do Conselho foi de dar prosseguimento ao debate iniciado em maio,
durante o Seminário “Nossa luta é por
equiparação salarial”, promovido pelo
Sindjus, buscando agora desenhar
uma proposta que agregue a categoria
em torno de uma única luta: servidores
antigos e novos, ativos e aposentados, técnicos e analistas de todas as
áreas e especialidades, em torno de
um reajuste salarial que nos aproxime
cada vez mais das carreiras legislativas, fazendo, assim, justiça a nossa
categoria.

Carreira também precisa ser debatida

Está claro tanto para a diretoria do
Sindjus quanto para os delegados sindicais que é preciso sim fazer um amplo debate sobre carreira, discutindo
atribuições, aprimorando algumas de
nossas conquistas como o Adicional
de Qualificação, avaliando cargos,
especialidades, requisitos de acesso
critérios objetivos para ocupação de
cargos e funções comissionadas e muitos outros pontos que irão fortalecer as
carreiras dos servidores do Judiciário
e do MPU.

Tanto que o Sindjus solicitou a Joaquim Barbosa a Rodrigo Janot a instalação de comissões interdisciplinares para
discutir carreira, mas também é consenso
que a situação salarial não pode esperar.

“Queremos construir imediatamente uma proposta salarial para nossa categoria. Temos de ter unidade em
torno de uma proposta salarial para que
nossa luta tenha condições de avançar.
Da forma como está nossa categoria
não pode ficar.”, afirmou Jailton Assis,
coordenador-geral do Sindjus

Programação
8/10 LBV

17h – abertura
17h30 – Painel “Conjuntura salarial dos servidores públicos federais”
Pedro Armengol (diretor executivo e coordenador do setor público da CUT)
Antonio Augusto Queiroz (analista político e diretor de documentação do Diap)
18h30 –Debate
19 horas – Painel “Parâmetros para a construção da proposta dos servidores do Judiciário e do MPU”
Diretoria do Sindjus
19h30 – Debate
20h30 – Lanche
21 horas – Plenária
22 horas – Atividade cultural

🔥21 Total de Visualizações