Reajuste emergencial: essa é a nossa meta para 2014

Embasado e motivado pelas mobilizações e debates realizados no ano passado junto à categoria, o Sindjus inicia 2014 disposto a buscar o reajuste emergencial para os servidores do Judiciário e do MPU.

Trata-se de um ano curto, em razão da Copa do Mundo e das eleições, que vai exigir todo nosso empenho, nossa garra e, principalmente, nossa união. Depois de estar sete, quase oito anos na fila com o pires na mão, temos pressa e vamos pra cima. E você vai nos ajudar a decidir como transformar essa meta ousada, mas possível, em realidade.

Reunião de Delegados

Na próxima semana, o Conselho de Delegados Sindicais de Base vai se reunir para definir, entre outros pontos, um calendário de assembleias setoriais que conscientize e mobilize cada um dos servidores em prol dessa luta que deve ser abraçada por todos. A pluralidade que é a essência desse conselho vai levar em conta a situação de cada local de trabalho e traçar a melhor estratégia para alcançarmos essa meta.

Pra cima deles

Nos últimos anos, o filme se repete. Nem a cúpula do Judiciário nem a cúpula da PGR se movimentam para valorizar os servidores, ficando num jogo de empurra para cima do Executivo e do Legislativo. No entanto, nossas carreiras são de responsabilidade do Poder Judiciário e do MPU.

O que falta mesmo é vontade política, pois recentemente o STF encaminhou projeto de lei para aumentar o salário dos magistrados e CJs. No mesmo dia em que o Supremo Tribunal Federal enviou à Câmara dos Deputados a solicitação de elevação dos salários dos ministros, o MP também reivindicou junto ao Legislativo reajuste no subsídio do procurador-geral da República. E os demais servidores, ficam como? Está mais do que na hora do presidente do Supremo e do PGR assumirem aqueles que realmente colocam a Justiça para funcionar.

Chega de promessas

As cúpulas não fizeram nada para transformar o PL 6613 e o PL 6697 em realidade. Prometeram, prometeram, prometeram, mas em momento algum foi feito o que esperávamos – a defesa da nossa categoria por autoridades que acompanham a enorme evasão de quadros de excelência para carreiras mais atrativas.

O Sindjus não vai poupar de cobrar as autoridades do Judiciário e do MPU a saírem dessa inércia que tem provocado um verdadeiro e terrível sucateamento da nossa carreira. Os 15,8% oferecidos pelo governo e rejeitados pela nossa categoria não foram suficientes para amenizar o nosso déficit salarial.

Campanha dos federais

Nós vamos nos aliar aos demais servidores públicos federais, que lançam, oficialmente, uma campanha de valorização do funcionalismo, no dia 5 (quarta), sem esquecer que nossa pauta tem uma série de particularidades que precisa ser levada em conta. A nossa adesão a essa campanha nacional contra a política de arrocho imposta pelo governo aos servidores e na defesa de direitos que são nossos é necessária para trazermos à tona a importância e as reivindicações do funcionalismo, mas temos que ter consciência de que temos um caminho próprio a percorrer, pois só a antecipação das parcelas dos 15,8% não resolve nosso problema.

O lançamento oficial da campanha é no dia 5, às 16h, no MPOG.

Caminho próprio

A situação dos servidores do Judiciário e do MPU é diferenciada, pois além de o MPOG não sentar para discutir com representantes dessas carreiras, os quadros têm acumulado perdas e mais perdas salariais sem um reajuste significativo desde 2006. Precisamos pressionar o STF e a PGR a defenderem nosso reajuste emergencial junto aos outros poderes. Uma valorização concreta e urgente que contemple todos os servidores do quadro; é isso o que propomos para 2014. Agora, cabe a você nos dizer como chegaremos lá. Juntos, vamos fazer de 2014 o ano da nossa valorização salarial.

🔥7 Total de Visualizações