Assembleia-geral rejeita GAJ de 50% e dá ultimato para o STF enviar proposta

Os servidores do Poder Judiciário, em assembleia-geral realizada na tarde desta quinta-feira (22), aprovaram a proposta colocada pelo Fórum de Sobradinho de esperar até o dia 29 de maio pelo envio da proposta de reajuste salarial para todos ao Congresso Nacional. Segundo a proposta anunciada aos presentes pelo porta-voz dos servidores do fórum em questão, o servidor Salim Nader, se a cúpula do Judiciário não enviar a proposta até o dia 29 o Sindjus chamará assembleia imediatamente com indicativo de greve; já no caso de a proposta ser devidamente encaminhada será feita assembleia de avaliação da conjuntura (a Diretoria aprovou a data prévia de 3 de junho para realização de uma ou outra assembleia).

“Se a proposta não chegar ao Congresso até o dia 29 nós vamos discutir e votar a possibilidade de greve por tempo indeterminado. Se for esse o caminho, teremos de realizar uma greve com responsabilidade, onde cada um saiba o que está fazendo. Nada de atropelar o que está sendo encaminhado. Não podemos fazer outra greve senão uma greve forte”, explicou Salim. A proposta do Fórum de Sobradinho é coerente com que assembleia anterior já havia aprovado, no sentido de dar um voto de confiança ao Supremo Tribunal Federal até o final do mês para encaminhar o reajuste. Importante esclarecer que encerrados os trabalhos da Comissão Interdisciplinar, o resultado será analisado pelos diretores e secretários-gerais dos tribunais superiores e do TJDFT, para, em seguida, ser submetido à avaliação do colégio de presidentes.

O sindicato distribuiu as três tabelas propostas pela comissão e todas as dúvidas foram esclarecidas sobre cada uma delas. Ao final da explanação, a assembleia votou pela rejeição da proposta de reajuste salarial de GAJ de 50%, conforme fora encaminhado à Câmara dos Deputados em 2009. O Sindjus aceita a discussão da atualização com uma GAJ de 90%, no entanto esclarece que essa proposta precisará ser negociada junto ao Executivo e Legislativo.

Os coordenadores foram enfáticos ao afirmar que é necessário que a categoria continue mobilizada para pressionar os presidentes dos tribunais superiores e do TJDFT a encaminharem, até o final do mês, uma proposta que atenda aos interesses do conjunto de servidores. O Sindjus, defendendo os interesses da categoria, rechaça qualquer redução da tabela, considerando, a partir de decisão do nosso congresso, que caso haja quaisquer dificuldades na adequação do orçamento dos tribunais relacionadas à proposta pretendida que o reajuste seja deslocado para a GAJ.

Se houver qualquer alteração na proposta, seja na formulação do reajuste ou nos valores estabelecidos, por parte dos diretores-gerais, presidentes ou da comissão o Sindjus convocará assembleia-geral no prazo estatutário de 48h para deliberar sobre o tema. Portanto, fique atento ao nosso site e aos nossos informativos. É importante que todos mantenham o estado de mobilização.

🔥39 Total de Visualizações