Janot confirma trabalho em conjunto com Lewandowski pela aprovação dos reajustes

viagra na prodej

viagra cena lekaren link

No final da tarde desta terça-feira (2), o Sindjus, juntamente com outras entidades, foi recebido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para tratar do reajuste da categoria.

Os representantes do sindicato, Ana Paula Cusinato e Jailton Assis, sintetizando os anseios da categoria, perguntaram ao procurador-geral qual a conjuntura em torno da negociação do PL 7919/14, o que há de concreto em relação à estratégia para aprovar esse plano, e qual sua posição sobre o corte feito pelo Executivo no orçamento do Ministério Público.

Janot esclareceu que todas as negociações envolvendo reajuste salarial estão sendo feitas em conjunto com o presidente Lewandowski, e que está definido que os dois vão se empenhar da mesma forma tanto para aprovar o reajuste dos servidores quanto dos magistrados/membros do MPU.

Mas atenção: Janot frisou que as negociações com o Executivo vão se iniciar só a partir da posse de Lewandowski como presidente do STF, um pedido do próprio ministro. Portanto, como a posse acontecerá no dia 10, tal movimentação só se dará do dia 11 em diante.

Também afirmou que foi montada uma agenda para ser trabalhada com Executivo e Legislativo visando à aprovação desses projetos. Para o bem das negociações tal estratégia institucional não pode ser revelada. Mas revelou que o encaminhamento dos projetos com parcelamento integra essa estratégia.

No que diz respeito ao fato de o PL 7919/14 tratar de situações não remuneratórias, indo muito além do teor do substitutivo PL 6697/09, Janot defendeu os pontos colocados, mas afirmou que abre mão se algum deles atrapalhar a aprovação do projeto. Garantiu que o acordo com Lewandowski é de trabalhar em conjunto as questões salariais, já as que não dizem respeito a impacto orçamentário podem ser trabalhadas em separado. E garantiu que quando o PL 7919 chegar à CFT ele se sobrepõe aos Pls 6697 e 2199 tornando-se o projeto oficial do MPU.

Uma medida jurídica quanto ao corte orçamentário feito pela presidenta Dilma às propostas das instituições está em estudo pelo MPU, de modo que haverá uma resposta nesse sentido. Assim como o conjunto de estratégias, não há como revelar nada de forma mais aprofundada sobre isso.

Jailton cobrou empenho para que não haja cortes nas tabelas que foram, inclusive, aprovadas em assembleia. Janot ressaltou que vai se empenhar, ao lado de Lewandowski, para concretizar o reajuste da forma como ele foi encaminhado e que qualquer fato novo será levado por eles às entidades sindicais para que a categoria possa ser ouvida antes das cúpulas baterem o martelo.

Ana Paula afirmou que todos os meios para se viabilizar esse reajuste são importantes, inclusive o caminho jurídico, mas que só a negociação dele, Janot, e de Lewandowski com a presidenta Dilma é capaz de concretizar de uma vez por todas esse reajuste.


Crédito da foto: Marina Soares

🔥7 Total de Visualizações