Assembleia setorial do Cabo Frio traz à tona vários pontos de interesse da categoria

A primeira assembleia pós-suspensão da greve para discutir com os servidores do Poder Judiciário o reajuste salarial foi bem participativa, com muitos servidores da Justiça Federal do Edifício Cabo Frio trazendo à tona a preocupação com a negociação de Lewandowski para a aprovação do nosso reajuste.

A coordenadora do Sindjus Ana Paula Cusinato inicialmente parabenizou a mobilização dos servidores do Edifício Cabo Frio durante a greve, antes muito tímida e agora com grande adesão, ressaltando a participação de cada um, com destaque para a dedicação do comando de greve, que ali contou com a colega Keila Guedes.

Reajuste

Sobre o reajuste, a coordenadora do sindicato informou que a pressão continua e que o primeiro ato deve acontecer no dia 15 de outubro, após a assembleia-geral do dia 9.
Os servidores do Edifício Cabo Frio vão participar das atividades e têm compreensão sobre importância da mobilização ser mantida e ampliada, com pressões pontuais e efetivas em Lewandowski para que ele busque de forma célere a negociação.

Reenquadramento

Boa parte dos servidores tem reenquadramento para receber e querem saber como isso será negociado. O sindjus explicou que já havia conversado com o DG do TRF, que ficou de dar uma resposta, só que em razão da greve essa reunião foi adiada. Agora, o contato vai ser retomado no sentido de que o TRF da 1ª Região busque recursos para efetuar esse pagamento ainda este ano.

Foi uníssona a indignação dos servidores do Edifício Cabo Frio sobre o fato de todos os servidores do Judiciário e do MPU, inclusive os servidores do TRF da 1ª Região, terem recebido o reenquadramento entre o final de 2013 e o início deste ano, com exceção dos servidores da Justiça Federal.

Emendas apresentadas ao PL 7920 – ingresso de nível superior para técnico

Foi levantado o debate sobre as emendas para ingresso de técnico como nível superior. Tanto analistas quanto técnicos debateram e concluíram que o tema é pertinente, mas o momento é de priorizar a recomposição dos salários. A coordenadora do Sindjus, manifestando posição do sindicato, disse entender que se houver acordo com o STF e demais tribunais superiores essa questão pode avançar. Mas ressaltou que só haverá avanço se tal emenda não prejudicar a luta salarial.

Também foi ponto pacífico que se busque a valorização dos analistas, que trouxeram ao debate o fato de que eles fazem o trabalho e apenas o juiz assina, faltando, portanto, tanto reconhecimento quanto valorização. Ou seja, os analistas não são contra ingresso do técnico como nível superior, mas também reivindicam dedicação em melhorar a forma como estão dispostas suas atribuições atualmente no Poder Judiciário.


5% AQ


Um servidor na assembleia levantou a preocupação com o AQ de 5% para técnicos que possuem nível superior, que, desde o veto do artigo em 2006, ainda é um impasse no Judiciário. A sugestão é de que o sindicato articule a apresentação de uma emenda ao PL 7920 para resolver esse problema do técnico, buscando isonomia com o MPU.


Negociação do ponto

Os servidores têm conhecimento de que o procedimento sobre o ponto durante a greve está na mesa do presidente do TRF. A coordenadora do Sindjus informou que o sindicato está cobrando a administração para que essa negociação aconteça ainda nesta semana. O Sindjus orientou que todos aguardem o resultado da negociação e não cumpram nada antes da proposta ser oficializada. Além disso, qualquer caso de ameaça ou discriminação em função da participação na greve deve ser informado imediatamente ao sindicato pelo telefone 3212.2613.





Crédito: Marina Soares

🔥17 Total de Visualizações