Coordenador do Sindjus se reúne com ministros Toffoli e Rosa Weber para cobrar reajuste

O coordenador-geral do Sindjus e da Fenajufe, Cledo Vieira, juntamente com outros diretores da Federação, esteve, nesta quarta-feira (29), no Supremo Tribunal Federal, conversando com os ministros Dias Toffoli e Rosa Weber em prol da viabilização da recomposição salarial da categoria.

Dias Toffoli

Foi cobrado do ministro Dias Toffoli, que também é presidente do TSE, empenho para viabilizar o PL 7920/14, explicando sua importância, pois beneficia o conjunto de servidores do Poder Judiciário ao contrário de outros projetos que contemplam apenas uma parcela da categoria.

Também foi colocada a posição contrária da Fenajufe em relação ao PL 7904/14 que institui a GRAEL. Projeto esse enviado pelo próprio presidente Dias Toffoli ao Congresso Nacional visando enfraquecer nosso movimento grevista e fazer apologia à fragmentação do Judiciário. Foi deixado claro ao ministro que a categoria não aceita qualquer forma de cisão, de modo que a valorização deve sempre ser concedida ao conjunto de servidores.

Outro ponto que fez parte da conversa foi a Data Base, cuja votação Toffoli interrompeu no dia 2 de outubro pedindo vista. A Federação reivindicou que ele devolva o processo para que a votação continue e que vote a favor desse direito constitucional dos servidores.

O ministro se comprometeu a atuar juntamente com o presidente Lewandowski para que a reunião entre Executivo e Judiciário se concretize e dê resultados.
Após a Fenajufe se reunir com Toffoli, ele iria receber a Associação dos Tribunais Superiores, a União dos Servidores do TSE e a ANATA que também têm interesses a ser discutidos. Quais interesses?

Rosa Weber

Com a ministra Rosa Weber, a Federação foi tratar dos dois Mandados de Seguranças que estão sob sua relatoria, impetrados pela Associação dos Magistrados e pelo PGR, Rodrigo Janot, contra os cortes feitos pelo Executivo ao orçamento do Judiciário/MPU. Além desses MS, há a ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental), que está com a ministra Carmem Lúcia, impetrada pela Federação também versando sobre esse tema.

Cledo lembrou a ministra que em 2011 o ministro Luiz Fux concedeu a liminar favorável ao MS que defendia a autonomia constitucional do Poder Judiciário próximo do final do ano, o que fez com que Executivo e Legislativo ignorassem sua decisão. Por isso, argumentou que quanto antes ela decidir sobre essas peças jurídicas que estão com ela mais chance terá de sua decisão ser respeitada pelos outros poderes.

A Fenajufe também explicou que esse julgamento interfere diretamente na negociação entre Executivo e Judiciário/MPU que está aberta, dando respaldo aos chefes dessas duas últimas instituições a cobrar respeito as suas propostas orçamentárias. A ministra pode decidir monocraticamente ou levar os MS ao Plenário.

Também participaram dessas reuniões, os coordenadores Edmilton Gomes, Maria Eugênia e Adilson Rodrigues.

🔥14 Total de Visualizações