Assembleia MPDFT: Servidores compreendem que momento é de pressão total pelo reajuste

Em assembleia setorial realizada na tarde desta quarta-feira (12) no MPDFT, dezenas de servidores debateram as últimas informações sobre o reajuste e a necessidade de intensificar a mobilização.

A coordenadora do Sindjus Ana Paula Cusinato apresentou as últimas informações sobre as atividades do sindicato na Câmara dos Deputados e a preocupação com a possibilidade de aprovação do reajuste dos membros do MPU e magistrados antes do nosso reajuste, ressaltando que isso nos impõe intensificar a mobilização dentro do Congresso Nacional.

Ato do dia 19

Ana Paula Cusinato também enfatizou sobre a importância de os servidores do MPDFT participarem do ato do dia 19, às 15h, na Praça dos Três Poderes, para pressionar o PGR, Janot, e o presidente do STF, Lewandowski, a intensificarem a negociação com o Executivo de modo a viabilizar o reajuste para todos, com a compreensão de que só a negociação direta entre os chefes de poder poderá trazer o resultado que esperamos, como aconteceu em 2002 e 2006. “Janot e Lewandowski precisam falar diretamente com Dilma e bancar o reajuste para todos. Só por meio de muita pressão há de se construir esse acordo”, afirmou.

Privilegiar questão salarial

Outro ponto debatido e esclarecido tratou sobre as emendas ao PL 7919. A assembleia setorial lembrou a decisão da assembleia-geral do dia 9 de outubro, que definiu por privilegiar a questão salarial em detrimento de emendas, caso dificultem a aprovação do projeto. A assembleia reiterou a importância das emendas que recompõem o texto da Lei 11.415/2006, com ênfase para a emenda 10, que retira do texto da lei os artigos que tratam de jornada de trabalho e de terceirização. Os servidores do MPDFT concordaram por unanimidade com esse posicionamento.

Pressão no Congresso

A coordenadora Ana Paula Cusinato disse que o Sindjus vai continuar trabalhando na Câmara dos Deputados pela aprovação dos PLs 7919 e 7920 nas comissões e pelo requerimento de urgência urgentíssima e convocou os servidores para compareceram à Câmara toda quarta-feira pela manhã para acompanhar as reuniões da CTASP e depois da CFT, entendendo que é importante pressionar os parlamentares. Frisou mais uma vez a necessidade de manter todos os projetos que tratam de reajuste (PLs 7917, 7918, 7919 e 7920) tramitando em conjunto para aumentar a chance de aprovação, explicando que os deputados têm interesse especial em aprovar o da magistratura em razão de poderem elevar assim seus próprios salários.

Reivindicações ao novo PGJ

Também foi referendada pelos participantes uma série de 21 reivindicações comuns aos servidores do MPDFT, reunidas pela ASMIP, que será encaminhada aos três integrantes ao cargo de procurador-geral de Justiça do DF. Tais demandas serão encaminhadas em conjunto aos candidatos, visando conquistar avanços em diversos pontos, como “fruição de férias em períodos mínimos de 5 dias”, o que já acontece por exemplo no TJDFT.





Crédito: Marina Soares

🔥30 Total de Visualizações