DG do STJ fala sobre quintos, 13,23%, jornada e transporte com Sindjus

Na última quinta (4), os coordenadores Cledo Oliveira e Jailton Assis se reuniram com o diretor-geral do STJ, Miguel Fonseca, e sua assessoria, para tratar dos quintos, dos 13,23%, da jornada de trabalho, dos auxílios e do transporte de servidores.

Quintos

Os coordenadores explicaram ao DG que existe um processo de execução dos quintos na 7ª Vara Federal e que o STJ ainda não forneceu a base de cálculo para que o sindicato execute os valores correspondentes.

Como o tribunal vinha se empenhando em pagar os quintos administrativamente não julgou necessário fornecer tal base. No entanto, como o pagamento administrativo foi proibido pelo STF, o Sindjus reforçou a necessidade da liberação desses dados.

O sindicato já encaminhou tal pedido às diretorias jurídica e administrativa e conta com ajuda da administração para obter essa base para poder começar a executar o montante referente aos servidores do STJ.

13,23%

O Sindjus explicou tudo o que vem sendo realizado pelo sindicato para consolidar a decisão que favoreceu os servidores da Justiça do Trabalho e também permitir que ela alcance o conjunto da categoria. Pediu para que o presidente Falcão faça gestões junto ao presidente Lewandowski para que seja encontrada uma solução. O DG se interessou pela tese apresentada e se comprometeu a levar esse assunto ao presidente do STJ.

Jornada

O Sindjus afirmou que vai entrar com novos fundamentos insistindo para que o STJ volte a ter uma jornada melhor para os seus servidores, no caso, de 6h, e vai solicitar audiência com o ministro Presidente para tratar da questão.

Auxílios

O DG afirmou que está atento ao reajuste que o STF concedeu aos seus servidores no que diz respeito ao auxílio alimentação e também aos pedidos do Sindjus, dizendo que vai aguardar a alteração da Portaria Conjunta que fixou os valores em 2014. O reajuste, segundo o IPCA, do auxílio alimentação e pré-escolar, deverá ser alterado concomitantemente em todos os tribunais signatários da nova portaria.

Transporte

O Sindjus reivindicou que os servidores continuem sendo beneficiados pelo transporte oferecido pelo STJ. O DG, no entanto, afirmou que há um empecilho orçamentário para atender esse pleito uma vez que os ônibus já atingiram a maioridade, o que resulta em uma manutenção caríssima. Também explicou que não há recursos para compra de ônibus novos.

O coordenador Jailton insistiu dizendo que se não é possível comprar ônibus, que sejam compradas vans, mas que os servidores não podem ficar sem transporte. O DG reiterou que não há orçamento para comprar de veículo algum, tampouco para manutenção dos ônibus.

🔥16 Total de Visualizações