Sindjus defende os 13,23% com presidente do TRF e no mesmo dia tutela da AGU é negada

Na manhã de sexta-feira (27), os coordenadores do Sindjus Jailton Assis, Sheila Tinoco e Ana Paula Cusinato conversaram com o presidente do TRF, desembargador Cândido Ribeiro, sobre os 13,23%, defendendo o julgamento dessa questão, assim como tem feito com todos os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Para o sindicato é importantíssimo consolidar essa vitória precária obtida para os servidores da Justiça do Trabalho ao mesmo tempo em que busca ampliar o alcance dessa ação ao conjunto da categoria. Como resultado do trabalho político e jurídico feito respectivamente pelos coordenadores do Sindjus e pelos advogados do escritório Ibaneis Rocha, o pedido de antecipação de Tutela feito pela AGU visando suspender qualquer tipo de execução foi indeferido.

O Sindjus reforça que a matéria é complexa e que continuará trabalhando pelos 13,23% administrativa e judicialmente junto ao STF e TRF.

LOA

Com a expectativa de votação da LOA nesta semana, o Sindjus tem conversado com os presidentes de tribunais e com o PGR pedindo empenho deles na inclusão dos recursos necessários à viabilização dos PLs 7920 e 7919 no Anexo V da peça orçamentária.

O presidente do TRF informou que tem conhecimento das negociações realizadas pelo Supremo Tribunal Federal, deixando claro que já fez contato com o ministro Lewandowski e com parlamentares nesse sentindo.

Quintos

Foi explicado ao desembargador Cândido Ribeiro que, devido ao fato de não ter juiz titular na 7ª Vara e grande rotatividade de juízes substitutos, está parada a execução dos quintos de cerca de 600 servidores do TRF-1, além dos demais servidores do Poder Judiciário e MPU.

Os coordenadores pediram a ajuda dele para que dê atenção a esse problema na 7ª Vara com objetivo de avançar na execução. O presidente pediu ao Sindjus que entregue a ele o espelho do processo e afirmou que acompanhará pessoalmente a tramitação.

Auxiliares

O presidente Cândido Ribeiro já havia sido visitado e conhecia a posição do Sindjus em relação aos auxiliares. Os coordenadores informaram que o voto do desembargador Tadaaqui Hirose, da reunião do CJF do dia 9 de fevereiro, coloca essa discussão no patamar de aproveitar esses servidores que são nível auxiliar em nível intermediário.


Foto: Daniel Nogueira

🔥10 Total de Visualizações