Marcha chama atenção dos Três Poderes

Mais uma vez, os servidores do Poder Judiciário e do MPU botaram sua indignação para fora e com palavras de ordem, apitos, cornetas, roupas pretas e guarda-chuvas pretos marcharam da Catedral à Praça dos Três Poderes, nesta terça-feira (3).

Além de dar movimento à indignação protestando pela Esplanada, centenas de servidores venceram as grades e ocuparam coletivamente, depois de anos, o pátio do Supremo Tribunal Federal, dando um abraço simbólico no Palácio.

Após muito protesto exigindo atitude de chefe de poder do ministro Lewandowski, os manifestantes fecharam a pista em frente ao Palácio do Planalto. A manifestação pacífica dos servidores foi reprimida com spray de pimenta e presença ostensiva da Polícia Militar.


Resistência garante reunião no Planalto

A resistência dos servidores culminou em uma reunião entre dirigentes sindicais e o assessor especial da Secretária-geral da Presidência da República, José Lopez Feijóo, que é o responsável por fazer contato com os movimentos sociais, levando ao ministro da pasta Miguel Rossetto. Inclusive, é ele que tem feito a intermediação com os caminhoneiros.

Os coordenadores-gerais do Sindjus Cledo Vieira e Jailton Assis explicaram ao assessor especial a situação dos servidores do Poder Judiciário e do MPU, que desde 2008 perdem para a inflação. Já que Lewandowski e Janot não levam os dados concretos da defasagem salarial da categoria ao Executivo, os dirigentes levaram ao conhecimento de Feijoó o abismo salarial existente entre os servidores do Judiciário/MPU e os de carreiras análogos que foram contemplados com reajustes no segundo governo Lula, fazendo-o entender porque o reajuste linear proposto pelo governo Dilma não basta para a nossa categoria.

Feijóo ouviu atentamente as argumentações e ficou de agendar uma reunião com o ministro Miguel Rossetto. Além disso, solicitou os estudos econômicos que o Sindjus tem sobre a defasagem salarial e o comparativo com as outras carreiras para apresentar ao ministro. O Sindjus entregará a Feijóo hoje memorial e os estudos solicitados.
Para o Sindjus, a reunião foi positiva, pois é uma forma de sensibilizar o Executivo, trabalho esse que era para ser feito por Lewandowski e Janot. O assessor especial afirmou não haver perspectiva de votação da LOA-2015 nos próximos dias.

Participaram da reunião, além de Cledo Vieira e Jailton Assis, os diretores do Sisejufe (RJ) Valter Nogueira e Edson Vasconcelos, o diretor do Sindiquinze (SP) José Aristéia e a coordenadora da Fenajufe Eugênia Lacerda.










Crédito: Daniel Nogueira

🔥12 Total de Visualizações