Correio Braziliense: Servidores do Judiciário e do MPU voltam a protestar na Esplanada

viagra recenze

viagra prodej gerarprieto.com

Servidores do Judiciário e do Ministério Público da União (MPU) fizeram uma caminhada pela Esplanada dos Ministérios na tarde de hoje. A marcha começou no Eixo Monumental, na altura da Catedral, por volta das 15h30, e seguiu até o Supremo Tribunal Federal (STF). O objetivo, segundo o sindicato da categoria (Sindjus-DF), foi cobrar do ministro Ricardo Lewandowski, presidente do STF, e do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que conversem com a presidente Dilma Rousseff e a convença a incluir os recursos para o reajuste salarial da categoria, descritos nos Projetos de Lei (PLs) 7919 e 7920, na Lei Orçamentária Anual (LOA-2015).

Para o cargo de analista judiciário, o salário previsto no texto varia entre R$ 7.323,60 e R$ 10.883,07, de acordo com a progressão na carreira. Para o cargo de técnico judiciário, os vencimentos estão entre R$ 4.363,94 e R$ 6.633,12. E para auxiliar judiciário, os ganhos vão de R$ 2.584,50 e R$ 3.928,39. Pelo texto, o aumento será pago em parcelas, até 2017. O impacto orçamentário para 2015 é de R$ 1,473 bilhão.

O grupo de manifestantes, de cerca de 500 pessoas, deu um abraço simbólico no prédio do STF, às 16 horas. Meia hora depois, conseguiu parar o trânsito por aproximadamente 20 minutos, em frente ao Palácio do Planalto. “Soubemos que o ministro Lewandowski não estava na Casa. Fomos, então, ao Planalto, na tentativa de conseguir uma reunião com os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e de Relações Institucionais, Pepe Vargas”, contou Ana Paula Cusinato, diretora do Sindjus. Nesse momento, os sindicalistas ainda aguardam na antessala dos gabinetes.

“Repetimos o tom de Luto Pela Justiça marchando de roupa preta e guarda-chuva preto, conforme fizemos na semana passada, para chamar a atenção da imprensa, das autoridades e da sociedade para a nossa situação. A presidente Dilma não pode cortar recursos do Judiciário. Ela interferiu na autonomia dos poderes”, destacou Ana Paula.

Previsto inicialmente para fevereiro, o LOA de 2015 deve ser votado ainda hoje. De acordo com o gabinete do senador Romero Jucá (PMDB/RR), relator do Orçamento, a votação está prevista para começar às 19 horas desta terça-feira. Amanhã, às 15 horas, os servidores voltam a se reunir na Praça dos Tribunais, em assembleia de avaliação para definir os próximos passos do movimento.

🔥9 Total de Visualizações