Recuo de entidade prejudica PL 7919

Enquanto a estratégia traçada pelo Sindjus para aprovação do PL 7920 (Judiciário) culmina hoje em mais uma vitória da categoria com a aprovação do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania – CCJC da Câmara dos Deputados, assistimos a diretoria do Sinasempu trabalhar a retirada de pauta do PL 7919.

O coordenador-geral do Sindjus esteve ontem (24) com o secretário-geral da PGR, Lauro Cardoso, enfatizando o quanto era importante que a administração trabalhasse junto com o sindicato a aprovação do PL 7919 na CFT. Até a reunião não havia notícias de que o Sinasempu pediria a retirada do PL da pauta.

Na Câmara, o deputado Lúcio Vieira Lima, relator do PL 7919, apresentou seu relatório já na segunda-feira, viabilizando assim a inclusão do reajuste dos servidores do MPU na pauta da Comissão de Finanças e Tributação – CFT, o que se confirmou na terça-feira.

A diretoria do Sindjus tem insistido com os deputados da CFT na celeridade da aprovação do projeto, explicando que a situação do PL 7919 é similar à do PL 7920, já aprovado na Comissão em dezembro do último ano. O Sindjus também procurou as lideranças partidárias a fim de solucionar essa injustiça que é deixar que o reajuste do MPU corra o risco de ficar para trás, como aconteceu em 1999.

Hoje, ao chegar à CFT, a coordenadora do Sindjus Ana Paula Cusinato foi surpreendida pelo deputado Lúcio Vieira Lima com a informação de que o outro sindicato solicitou à presidência da Comissão a retirada de pauta do PL 7919.

Tentando reverter a situação junto ao relator do projeto, a coordenadora do Sindjus argumentava que era preciso garantir a breve votação, inclusive porque o PL 7920 estaria para ser votado na CCJC. Nesse momento, diretores do Sinasempu se aproximaram e insistiram em dizer que não haviam solicitado a retirada de pauta, o que para o relator foi ultrajante. Um diretor do Sinasempu discutiu acaloradamente com o relator do projeto de lei 7919.

Após o incidente, Ana Paula tentou voltar a conversar com o deputado Lúcio Vieira Lima para garantir que o PL volte na próxima semana à pauta. A tendência é que isso se confirme, já com o compromisso do deputado relator de trabalhar pela volta à pauta e o Sindjus tem plenas condições de corrigir esse problema.

“Eu nunca tinha visto nada parecido. Estou surpresa com a inabilidade de alguns em relação ao nosso reajuste. Os motivos colocados pelo diretor do Sinasempu para a retirada de pauta não se justifica, pois bastaria uma alteração no relatório, o que poderia ter sido feito inclusive oralmente durante a apresentação do PL pelo deputado Lúcio Vieira Lima. Agora, no mínimo, perdemos uma semana, isso se não ficar pior. Espero que o que aconteceu hoje não se repita, pois os servidores estão aguardando esse reajuste. Somos contra o desvio da rota sindical para campos alheios aos interesses dos filiados.”, afirmou Ana Paula Cusinato.

O Sindjus conclama os servidores do MPU a estarem presentes na próxima reunião da CFT, dia 1º, quarta-feira, às 9h30.

🔥34 Total de Visualizações