No CONTEC, delegado do Sindjus propõe sobreposição em nível superior para técnicos

No último sábado (11), aconteceu a primeira reunião do Coletivo Nacional de Técnicos do Poder Judiciário e MPU (CONTEC). Na ocasião, o delegado sindical do Sindjus Carlos Alberto (TJFDT) defendeu a valorização dos técnicos judiciários e do MPU, afirmando ser absurdo um técnico que no seu dia a dia realiza atribuições de nível superior, inclusive utilizando de conhecimentos de Direito e de Administração Pública, ser prejudicado no momento da negociação salarial porque pertence a um cargo cujo ingresso é de nível médio. Um técnico que dedica 35 anos à carreira recebe ao final de sua caminhada menos do que um analista recém-empossado.

Também chamou a atenção para o fato de que hoje há técnicos exercendo cargos de alta complexidade, como diretor de vara e chefe de cartório. Explicou ainda que esse debate precisa ser aprofundando, levando em conta que os analistas, que fizeram concurso para nível superior, também merecem ser valorizados.

A proposta do delegado Carlos Alberto, que foi aprovada pelo CONTEC, foi a sobreposição em nível superior para técnicos do Judiciário e MPU. A sobreposição das tabelas salariais acabaria com a submissão de uma carreira para outra. É claro que analistas, que passaram em um concurso que exigia nível superior, chegariam ao topo da carreira bem mais rápido do que um técnico, mas seria possível ao técnico também progredir. Uma forma de motivar servidores que merecem ser reconhecidos e valorizados pelo trabalho que executam.

Para o delegado Washington Dourado (STJ), antigo defensor da valorização dos técnicos, a Fenajufe precisa encaminhar essas orientações que há muito tempo vêm sendo colocadas pelo Sindjus e defendidas por ativistas da causa dos técnicos. Para ele, valorizar os técnicos é valorizar toda a carreira dos servidores do Poder Judiciário e do MPU.
O delegado Emerson Parente (MPF), técnico aposentado, participou defendendo o que foi decidido no último Congresso do Sindjus, isto é, a mudança do nível de escolaridade para o cargo de técnico, passando de médio para superior.

No dia anterior, foram eleitos, durante o lançamento do Núcleo dos Técnicos do Sindjus, os delegados Carlos Alberto (TJDFT), Washington Dourado (STJ), Emerson Parente (MPF) e Joaquina Alves (STM), Maria Eugênia (TRE/GOIAS), como debatedores e Eldo Pereira (MPDFT), Laércio dos Reis (MPF) e José Junior (TJDFT) como observadores. O coordenador-geral do Sindjus e da Fenajufe, Cledo Vieira, acompanhou o debate durante todo o dia.


🔥22 Total de Visualizações