Ao invés de valorização, Justiça Eleitoral propõe mais trabalho para servidores

Foi enviado ao Congresso Nacional, pela presidente Dilma, no dia 28 de maio, o projeto de lei elaborado pelo TSE que propõe a criação do Registro Civil Nacional (RCN), isto é, um único documento de identificação para os brasileiros reunindo, ao mesmo tempo, dados como RG, CPF, título de eleitor e até antecedentes criminais.

O impacto aos servidores da implantação do projeto deve ser analisado, pois o trabalho aumentará muito sem contrapartida remuneratória alguma. Em resumo, os servidores, que já estão desvalorizados pela falta de reajuste e desmotivados pelo descaso de um governo que impõe uma política de arrocho salarial, terão que se desdobrar para transformar o Registro Civil Nacional em realidade e para manter o sistema posteriormente. As condições de trabalho, principalmente nas Zonas Eleitorais, são precárias e a falta de servidores é alarmante. Há Zona Eleitoral no DF que conta com apenas um servidor efetivo.

A Diretoria do Sindjus vai fazer assembleias setoriais no TSE e no TRE nesta terça (2/6), e pretende ouvir os servidores também sobre esse assunto, mas já se compromete a atuar para combater a sobrecarga de trabalho ao mesmo tempo em que luta pela valorização salarial e reforço dos quadros, com mais servidores concursados e melhores condições de trabalho.

🔥20 Total de Visualizações