Assembleia-geral aprova greve por tempo indeterminado a partir do dia 9

Reunidos em assembleia-geral, na tarde desta quarta-feira (3/6), os servidores do Poder Judiciário e Ministério Público da União aprovaram, por ampla maioria, greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira (9/6). Foram apresentadas três propostas com deflagração da greve para os dias 8, 9 e 10 de junho. Ao final, chegou-se a um consenso e foi colocada em votação apenas a proposta para início da greve no dia 9/6 (aprovada com apenas duas abstenções e um voto contrário).

A antecipação do início da greve em relação ao calendário da Fenajufe (início para o dia 10) é para forçar as negociações pela aprovação do PLC 28/15 que está na Ordem do Dia para votação no Plenário do Senado. Segundo a assessoria parlamentar do Sindjus, é preciso muita pressão dos servidores, pois não há garantia alguma de votação no dia 10 até porque o ministro Ricardo Lewandowski havia pedido para o presidente do Senado, Renan Calheiros, segurar a votação até o acordo orçamentário ser fechado. Até o momento não há contraproposta alguma do Planalto e o cenário é de completa incerteza.

O governo ainda pode obstruir a votação pedindo a retirada de pauta ou apresentando requerimento para apreciação pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). O governo pode ainda solicitar inversão de pauta, solicitar o adiamento da discussão ou simplesmente negar quórum para impedir a votação. Somente uma pressão intensa da categoria pode abrir caminhos para a aprovação do PLC 28/15 e também do PLC 41/15, que aguarda apresentação de relatório para ser votado na CCJ. Portanto, a partir da próxima terça-feira (9) é greve por tempo indeterminado. E no dia 10/6 (quarta), vamos todos para o Senado Federal. É importante que a categoria esteja unida e mobilizada, para fazer a diferença neste momento que é de pressão total. E na quinta (11/6), uma Assembleia-Geral de Avaliação vai indicar os próximos passos da nossa mobilização.

A Diretoria do Sindjus encaminhará os ofícios para as administrações informando da nova data da deflagração da greve, tomando todas as providências para garantir a legitimidade do nosso movimento. É necessário construir uma mobilização nacionalmente unificada. Não dá mais para esperar, pois já são quase dez anos sem reajuste. Cada um é importante nessa luta. Nossa categoria merece respeito.

🔥16 Total de Visualizações