Passeata toma Esplanada e exige que presidente Dilma sancione PLC 28

Na véspera do encerramento do prazo para a presidente Dilma sancionar o PLC 28, cerca de três mil servidores realizaram uma passeata da Catedral ao Palácio do Planalto, culminando num ato em frente à sede do Poder Executivo. Servidores do Distrito Federal, com participação de colegas de outros estados, deram uma amostra do que será o Ato Nacional desta terça-feira (21/7).

Concentrados na Catedral, a maioria vestindo preto em alusão ao Apagão Nacional que acontece nestas segunda e terça-feira, os servidores expuseram sua indignação com a demora à sanção do PLC 28. Carregando cartazes e faixas, munidos de apitos e cornetas, os servidores desceram lentamente pela Esplanada fechando três faixas do Eixo Monumental. Servidores voluntários se misturaram à multidão caracterizados de Dilma, Justiça e Lula, fazendo pequenas encenações em alusão ao desrespeito e arrocho sofrido pela categoria.

Impulsionada por palavras de ordem que exigiam a sanção e denunciavam a realidade dos servidores que estão há nove anos sem recomposição inflacionária, a manifestação dos servidores ecoou pelos ministérios, inclusive, pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (Bloco C). Passando pelo Congresso e pelo STF, o recado dado foi no sentido de que os servidores não aceitam rebaixamento de modo que o PLC aprovado pelo Senado seja sancionado na íntegra.

Em seguida, todas as faixas que ligam o STF ao Palácio do Planalto foram fechadas, com a massa de servidores ocupando as pistas e o espaço da Praça dos Três Poderes que fica em frente do Palácio do Planalto. Uma frente de corneteiros debruçou-se sobre as grades e fez um barulho ensurdecedor. Com os próprios servidores tocando instrumentos de percussão e gritando “sanciona”, “sanciona”, “sanciona”, o movimento deixou claro que os servidores não aceitam outra coisa senão a sanção do PLC 28.

Nesta terça-feira (21/7), com o reforço de caravanas de outros estados, a concentração será às 15h em frente ao STF para o Ato Nacional que será realizado em frente ao Palácio do Planalto. Após o ato, os servidores farão uma vigília em prol da sanção.
A Diretoria do Sindjus ressalta que a presença de cada servidor é fundamental para o esforço conjunto em torno da sanção do PLC 28. Todos, mesmo aqueles que não aderiram à greve, devem participar do ato. Participar não só em solidariedade aos colegas que estão nas ruas, mas porque a luta pela recomposição salarial é de todos.

Atividades:

Terça-feira (21/7): Apagão Nacional pela Sanção do PLC 28

11h: Piquetes nos locais de trabalho

15h: Ato Nacional em frente ao Palácio do Planalto (concentração na Praça dos Três Poderes em frente ao STF)

Após o ato: Vigília.

O Sindjus oferecerá transporte. Para mais informações, ligue: 3212-2613

🔥10 Total de Visualizações