Servidores exigem respeito e transparência do STF

Durante o Ato Nacional, realizado nesta quarta-feira (5/8), na Praça dos Três Poderes, os servidores do Poder Judiciário protestaram contra o fato de o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, não defender os interesses os servidores.

Reivindicando o respeito às entidades que representam a categoria e a transferência nas negociações, os servidores deixaram claro que exigem esclarecimentos sobre o andamento das negociações e a defesa do PLC 28.

Os servidores chamaram a atenção para o pleito da categoria que é a derrubada do veto ao PLC 28 e a inclusão do projeto na proposta orçamentária do Judiciário que será enviada ao Executivo na primeira quinzena de agosto.

Impedidos de adentrar no STF, os servidores próximos às grades foram reprimidos com spray de pimenta e empurrões por parte dos policiais. Mais uma vez, os servidores foram desrespeitados.

Os dirigentes sindicais fizeram contato com o Secretário de Segurança do STF, Murilo Maia Herz, na tentativa de intermediar uma reunião com o presidente Lewandowski. No entanto, houve apenas um aceno de reunião com o diretor-geral Amarildo Vieira de Oliveira, que foi refutado pelos servidores presentes fazendo valer o entendimento do Comando Nacional de Greve.

Novos contatos foram feitos pelos dirigentes com a Administração do STF objetivando uma reunião com o ministro Lewadowski. Os servidores continuaram posicionados na grade, mobilizados e resistindo mesmo com a chegada da noite. O movimento só dispersou com a promessa de que a comissão finalmente será recebida nesta quinta-feira (6/7) em uma reunião onde deverá será esclarecida a negociação do Supremo com o Executivo e a posição da categoria pela defesa do PLC 28 na íntegra, com a devida previsão orçamentária.






🔥16 Total de Visualizações